Cultura

140 minutos de leitura para assinalar 140 anos de Tomás da Fonseca

A iniciativa é da biblioteca municipal de Mortágua, onde o poeta, professor e republicano, nasceu e viveu.

Um republicano que percebeu o tempo, antes de ele acontecer, é esta sexta-feira celebrado em Mortágua.

Tomás da Fonseca nasceu há 140 anos anos. Mortágua, onde nasceu e viveu celebra este republicano, professor primário, que chegou a circular nos corredores do poder de Lisboa, na primeira República, e depois nas celas da prisão.

E a celebração passa por transformar cada um dos anos que passaram desde o nascimento de Tomás da Fonseca num minuto de leitura das suas obras.

A partir das 14h30, os textos de Tomas da Fonseca vão ser lidos na biblioteca, e podem ser escutados por todo o concelho, com altifalantes colocados em pontos estratégicos.

A diretora da biblioteca, Teresa Branquinho, recorda um dos livros que pode passar por esta maratona de leitura. São memórias do tempo em que foi chefe de gabinete do presidente Teófilo Braga.

Mortágua mete pés ao caminho esta tarde, para lembrar Tomás da Fonseca, o republicano que dá nome à rua onde está a TSF em Lisboa.