Maio de 68

"A minha revolução é melhor do que a tua"

Peça com participação de dramaturgo português assinala meio século do Maio de 68.

Está em cena em Paris, até ao dia 13 de Maio, no Teatro de Nanterres-Amandiers, no Festival "Mundos Possíveis", a peça da encenadora Sanja Mitrovic, "A minha revolução é melhor do que a tua", que acolhe em palco várias personagens menos faladas de algumas das revoltas do interminável ano de 68. Esta performance tem a participação de Jorge Palinhos na dramaturgia e no trabalho de pesquisa.

O dramaturgo português e a encenadora nascida na antiga Jugoslávia estabelecem um paralelo entre o refugiado que chega à Europa de hoje e aquele que é talvez o embrionário revolucionário desconhecido do futuro próximo.

"Eu nunca tinha ouvido falar do Maio de 68 até hoje, mas sei o que é uma revolução", conta Mohamed, poeta e refugiado do Darfur, um dos atores e herói desconhecido desta peça.