Antigo ministro das Finanças revelou veia artística na TSF. Bagão Félix como nunca o viu

Bagão Félix nunca tocou nenhum instrumento, mas integra o grupo de músicos que esta sexta-feira apresenta um novo disco. Na TSF antecipou a estreia em palco. Um "ato de imprudência" em direto na TSF.

Bagão Félix regressou esta sexta-feira à redação da TSF. Não para comentar os assuntos económicos da atualidade, como fazia no programa " A Opinião ", na última temporada da rádio, mas para tocar um instrumento nada convencional: o pau de chuva.

O antigo ministro das Finanças partilha o palco com a compositora Luísa Amaro, que esta sexta-feira apresenta em Lisboa, no Museu do Oriente, o álbum "Mar Magalhães".

Este é um trabalho inspirado na viagem de circum-navegação de Fernão Magalhães, há 500 anos, e inclui composições de Luísa Amaro, Manuel de Falla e Heitor Villa-Lobos, entre outros compositores.

O papel de musicar a chuva e o mar desta travessia cabe a Bagão Félix. Qual xamã, o ex-ministro vira e revira o pau de chuva, instrumento originário do Chile, para criar um som semelhante ao da água.

Bagão Félix confessa-se um melómano, mas admite que nunca tocou nenhum instrumento. "O que a idade tem de mais valor são os excessos. E o excesso foi ter aceitado aquilo que é um ato de imprudência", brinca, em conversa com Fernando Alves.

Luísa Amaro (guitarra portuguesa) e Bagão Félix (percussões), participam em "Mar Magalhães", os músicos Gonçalo Lopes (clarinete), Paulo Sérgio (piano), Heloísa Monteiro (guitarra clássica), João Mota (cavaquinho) e Leonor Padinha (voz).

O grupo atua esta noite, às 21h00, no auditório do Museu do Oriente, em Lisboa.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de