Património

"Livro das Fortalezas" revisitado 500 anos depois

O levantamento dos castelos situados ao longo da fronteira com Espanha, que Duarte de Armas fez no século XVI a pedido de D. Manuel I, está a ser revisitado por uma equipa de investigadores.

O estudo inclui não só a realização de novos desenhos dos monumentos que ficam localizados na raia luso-espanhola, como uma investigação aos dois exemplares existentes do "Livro das Fortalezas".

Nesta altura, os investigadores encontram-se a fazer o trabalho de campo. A TSF encontrou-se com dois dos cinco elementos da equipa em Almeida, no distrito da Guarda, no topo de um penedo. A dupla, formada pelo ilustrador João Sequeira e pelo coordenador do projeto David Martín Marcos, já passou por mais de 30 dos 57 castelos retratados na obra.

O frio e a chuva, condições atmosféricas típicas do inverno e, muitas vezes, a dificuldade em localizar o ponto exato onde Duarte de Armas e o seu escudeiro realizaram há 500 anos os desenhos originais do "Livro das Fortalezas" são algumas dificuldades que João Sequeira e David Martín Marcos estão a encontrar no terreno, contando muitas vezes com a ajuda de habitantes locais.

Esta pesquisa termina já no final desde mês. Depois arranca o estudo nas bibliotecas das duas cópias do manuscrito criado a mando do rei. Os resultados deste trabalho vão ser tornados públicos no final do ano. Está prevista a edição de um novo "Livro das Fortalezas" e a realização de uma exposição comparativa entre os desenhos antigos e os atuais.

  COMENTÁRIOS