"Milla" é o grande vencedor do Doclisboa

A entrega de prémios decorreu este sábado na Culturgest, em Lisboa. O festival encerrou com a estreia portuguesa de "Era uma vez Brasília".

"Milla" foi o grande vencedor da 15ª edição do Doclisboa. O filme da realizadora Valérie Massadian, uma produção franco-portuguesa, recebeu o Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição Internacional.

Também na Competição Internacional, "Why is difficult to make films in Kurdistan", de Ebrû Avci, recebeu o Prémio Sociedade Portuguesa de Autores.

Na Competição Portuguesa, "Vira Chudnenko", de Inês Oliveira, foi o vencedor do Prémio NOVA FCSH/ Íngreme; "À Tarde", de Pedro Florêncio, recebeu o Prémio Kino Sound Studio do Júri da Competição Portuguesa; e "I Don"t Belong Here", de Paulo Abreu venceu o Prémio Escolas / Prémio ETIC para Melhor Filme.

A 15a edição do Doclisboa termina este domingo, com a exibição de alguns dos filmes vencedores.

Este ano, ao longo de 11 dias, o festival de cinema documental trouxe a Lisboa 231 filmes de mais de 40 nacionalidades.

Lista completa de vencedores:

- Grande Prémio Cidade de Lisboa para Melhor Filme da Competição Internacional: "Milla", de Valérie Massadian

- Prémio Sociedade Portuguesa de Autores do Júri da Competição Internacional: "Why is difficult to make films in Kurdistan", de Ebrû Avci

- Prémio Jornal Público/MUBI para Melhor Curta-Metragem (até 40") transversal a Competições e Riscos: "Saule Marceau", de Juliette Achard

- Menção honrosa do júri da competição internacional: "Spell Reel", de Filipa César

- Prémio Revelação / Prémio Canais TVCine para Melhor Primeira Obra transversal a Competições e Riscos: "Those shocking shaking days", de Selma Doborac.

- Prémio NOVA FCSH/ Íngreme para Melhor Filme da Competição Portuguesa: "Vira Chudnenko", de Inês Oliveira.

- Prémio Kino Sound Studio do Júri da Competição Portuguesa: "À Tarde", Pedro Florêncio"

- Prémio do Público

- Prémio RTP para melhor filme português transversal a competições, riscos, heart beat e da terra à lua: "Diálogos ou como o teatro e a ópera se encontram para contar a morte de 16 carmelitas e falar do medo", de Catarina Neves

- Prémio escolas / prémio ETIC para melhor filme da competição portuguesa: "I don"t belong here", de Paulo Abreu

- Prémio Fundação INATEL para melhor filme de temática associada a práticas e tradições culturais e ao património imaterial da humanidade, transversal a todas as secções exceto retrospetivas e cinema de urgência: Menção Honrosa: "Medronho todos os dias", de Sílvia Coelho, Paulo Raposo; Vencedor: "Martírio", Vincent Carelli

- Prémio José Saramago - fundação José Saramago - para melhor filme falado maioritariamente em português, galego ou crioulo de origem portuguesa transversal às competições e riscos: "Spell Reel", de Filipa César.

- Pre"mio FAMU para melhor filme dos verdes anos: "Norley and Norlen", de Flávio Ferreira.

- Prémio especial Walla Collective do júri verdes anos: "Pesar", Madalena Rebelo

- Pre"mio melhor realizador dos verdes anos: "John 746", de Ana Vijdea

- Prémio Walla Collective para melhor work in progress: "Silvia", de María Síliva Esteve

- Prémio Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas para melhor projeto em desenvolvimento: "Folha 84", de Catarina Mourão

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de