Cultura

Morreu a declamadora Germana Tânger

A atriz e declamadora tinha 98 anos.

Foi a declamar Fernando Pessoa que Germana Tânger ficou conhecida. Atriz, declamadora e pedagoga, que nasceu em Lisboa a 16 de janeiro de 1920, morreu esta segunda-feira.

Estudou no Liceu Maria Amália Vaz de Carvalho, e na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, tendo feito parte do respetivo grupo de teatro, fundado por Manuel Tânger, investigador, professor universitário, com quem viria a casar-se.

A declamação da poesia portuguesa começou cedo, por sugestão de Almada Negreiros, que lhe pediu que dissesse "O Corvo", de Edgar Alan Poe, traduzido por Fernando Pessoa, numa sessão pública.

No final da década de 1940, Germana Tânger fixou-se com o marido, em Paris. Firmou a carreira de declamadora no Brasil, quando o marido foi colocado como adido cultural no Rio de Janeiro. Regressou a Portugal na década de 1950, altura em que começou a dar "Arte de Dicção" no Conservatório Nacional de Lisboa.

Iniciou então os programas culturais da RTP e na antiga Emissora Nacional/Radiodifusão Portuguesa (RDP), nomeadamente "Ronda Poética", assim como os recitais "Pró Arte", que levaria a todo o território português e a instituições ligadas ao ensino da Língua e da Cultura portuguesas, no estrangeiro, e às comunidades portuguesas.

Em 1959, ousou dizer pela primeira vez, "na íntegra e de cor", a "Ode Marítima", de Álvaro de Campos, num espetáculo público, no Teatro da Trindade, em Lisboa, exatamente o mesmo local onde se despediu dos palcos, em 1999, repetindo o poema do heterónimo de Fernando Pessoa a quem ficaria sempre associada, acompanhada pelo ator João Grosso ("o meu querido João Grosso", escreveu), um dos seus diletos discípulos.

Germana Tânger foi agraciada com o Grau de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, pelo Presidente da República Jorge Sampaio, com a Medalha de Mérito da Câmara de Lisboa, a Medalha de Mérito de Sintra e ainda com o Prémio Maria Isabel Barreno - Mulheres Criadoras de Cultura do Governo português, entre outras distinções.