Óbito

Morreu o desenhador francês Siné

Maurice Sinet, que assinava como Siné, foi o autor de algumas das imagens mais icónicas do Maio de 68. No 25 de Abril de 74 também passou por Portugal.

É um dos nomes grandes dos que ilustraram o Maio de 68. Maurice Sinet morreu esta quinta-feira aos 87 anos na sequência de uma intervenção cirúrgica. O anúncio foi feito na página do cartoonista no Facebook.

Siné foi um dos fundadores do "L'Enragé" (em português "O Enraivecido"), um jornal satírico de combate nascido dos tempos quentes do Maio de 68.

DR

O desenhador e caricaturista era uma figura histórica do "Charlie Hebdo". Fez parte da equipa do jornal satírico Charlie Hebdo desde o início, na década de 70, mas em 2008 abandonou a publicação por causa de uma polémica que envolvia o então presidente francês.

Na altura, Siné escreveu um artigo onde falava de um tratamento especial das autoridades para com o filho de Nicolas Sarkozy. A peça foi considerada ofensiva e anti-semita. A direção do jornal pediu explicações públicas ao desenhador que recusou e acabou por sair para criar uma publicação concorrente e em nome próprio - o "Siné Hebdo".

Artista comprometido, declaradamente de Esquerda, passou por Portugal no 25 de Abril de 74 para ilustrar a revolução.

Publicado no "República" de 11 de maio de 1974Centro de Documentação do 25 de Abril/DR

Assinou desenhos publicados em jornais nacionais e foi o autor das ilustrações do documentário "Cravos de Abril",de Ricardo Costa, lançado em 1976.

Publicado no "Sempre Fixe" de 11 de maio de 1974DR

Siné mantinha um site na Internet, o Siné Mensuel. Na última publicação, feita quarta-feira, escrevia que nos últimos tempos só conseguia pensar na morte e em todos aqueles que iriam esfregar as mãos de felicidade quando ele morresse. E de como o irritava pensar que ia morrer antes deles.

Facebook/Siné Mensuel

.