super bock super rock

Quando os meninos do Chapitô atuam com os graúdos La Fura

A companhia artística espanhola La Fura Dels Baus aliou-se ao Chapitô para um espetáculo transversal que iluminou a última noite do festival Super Bock Super Rock.

Foi há 20 anos que os La Fura Dels Baus estiveram no Parque das Nações, para atuar na inauguração da Expo 98.

Duas décadas depois, a companhia de teatro espanhola volta a pisar este espaço, com um espetáculo inédito, em duas partes, no festival Super Bock Super Rock - e em que conta com a preciosa ajuda dos alunos da Escola de Artes e Ofícios do Chapitô.

"O mundo dá muitas voltas", comenta Miki Espuma, diretor artístico dos La Fura Dels Baus, sobre o regresso da companhia espanhola ao Parque das Nações.

Em 1998, trouxeram à Expo um fragmento da sua peça "Fausto". Agora, voltam com um espetáculo por completo - dividido em duas partes - especialmente concebido para o Super Bock Super Rock.

"Os festivais de música estão a começar a aceitar outros tipos de criações artísticas, não somente musicais, como a pintura, a escultura e, também, o teatro. E o nosso espetáculo tem quatro ou cinco componentes artísticas", afirma Miki Espuma.

E porque criações artísticas que envolvem as componentes mais diversas são apanágio do Chapitô 50 alunos da escola - desde o 1º ao 3º ano - fazem também parte deste espetáculo.

Trata-se de uma colaboração ímpar entre os La Fura Dels Baus e o Chapitô, que fez as alegrias dos jovens artistas.

"Os miúdos estão fascinados. É uma oportunidade incrível podermos trabalhar com uma companhia internacional e dar esta oportunidade aos nossos alunos", diz Gerald Oliveira, professor da Escola de Artes e Ofícios do Chapitô.

"A equipa dos 'Fura' tem sido incansável, acolheu-nos da melhor forma possível, e tem sido uma semana super gratificante", refere.

O feedback é positivo de ambas as partes. O diretor artístico dos La Fura Dels Baus garante que os ensaios decorreram sem "nenhum problema, pelo contrário". "Foi tudo energia e vontade, tudo positivo!", elogia Miki Espuma.

  COMENTÁRIOS