Cultura

Rui Chafes vence Prémio Pessoa 2015

Esta foi a primeira vez, em 29 edições, que o prémio foi atribuído a um escultor.

O júri do Prémio Pessoa 2015, constituído por Francisco Balsemão (Presidente), Álvaro Nascimento, António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, João Lobo Antunes, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Maria de Sousa, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery, Viriato Soromenho-Marques, atribuiu o Prémio Pessoa 2015 ao escutor Rui Chafes.

Rui Chafes nasceu em Lisboa, em 1966, formou-se em escultura pela Escola Superior de Belas Artes, antes de partir para Düsseldorf, na Alemanha, onde estudou com Gerhard Merz.

Esta foi a primeira vez, em 29 edições, que o prémio foi atribuído a um escultor, com o júri a considerar que Rui Chafes conseguiu o feito raro de produzir uma obra simultaneamente sem tempo e do seu tempo. No ano passado, Rui Chafes fez a primeira exposição retrospetiva em Portugal. "O Peso do Paraíso" esteve no Centro de Arte Moderna e nos jardins da fundação Calouste Gulbenkian.

Contatado pela TSF, Rui Chafes confessou ter ficado "sem palavras". "É um reconhecimento muito importante, que tem sido atribuído a pessoas muito significativas para a comunidade, e não estou certo que mereça esta distinção. Acho que sou uma pessoa de sorte, é um presente de Natal muito bom. A vida é bela", afirmou o escultor do seu ateliê.

O escultor sucede a Henrique Leitão, o historiador de ciência que venceu o prémio em 2014.