ópera

Sansão e Dalila levam a ópera às escolas

"Ópera na Academia e na Cidade" é o nome de um projeto que quer aproximar as escolas e as universidades da criação artística.

A ópera "Sansão e Dalila" foi a escolhida para a estreia, que aconteceu em Miranda do Douro, um espetáculo que agora chega à cidade do Porto. A ideia partiu do maestro José Ferreira Lobo e conta com uma orquestra, criada para este projeto que tem como objetivo desmistificar a ópera e juntar músicos profissionais e menos experientes.

O maestro José Ferreira Lobo explica que "Sansão e Dalila", de Camille Saint Saens, foi a obra escolhida para o arranque de um ciclo "que quer fazer da ópera um espetáculo flexível, móvel e capaz de chegar a todos os públicos". "É um tema bíblico que tem tudo o que caracteriza uma boa história: relações de poder, relações afetivas,... É uma boa história servida por uma boa música."

"Ópera na Academia e na Cidade" é o nome do projeto que nasceu com o objetivo de levar uma estrutura profissional à universidade, para integrar os elementos da própria academia e "formar novos públicos".

O maestro José Ferreira Lobo explica que no âmbito deste projeto foi criada a Orquestra da Ópera na Academia e na Cidade, "capaz de interpretar toda a música sinfónica, do barroco à atualidade e que já colaborou em espetáculos como O Barbeiro de Sevilha, Carmen ou Visitação à Ópera de Mozart. Trabalhamos com músicos que têm carreiras emergentes e criamos uma oportunidade para se afirmarem e adquirirem experiência no campo da ópera".

A acompanhar os músicos há um elenco experiente: Carlos Guilherme, Maria Ermolaeva e Pedro Telles.

A estreia da Ópera na Academia e na Cidade aconteceu na Concatedral de Miranda do Douro. Esta quinta-feira, chega ao Auditório da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Dia 7 de dezembro é a vez do Salão Nobre do Instituto Superior receber a Visitação à Ópera Sansão e Dalila.

  COMENTÁRIOS