Cultura

Um novo museu para celebrar o amor de Pedro e Inês

Há quase 700 anos, a freguesia de Serra D'El Rei foi o cenário da paixão proibida, que está na origem da lenda das ferraduras ao contrário.

Longe da intriga e da corte, fora das principais estradas do reino, D. Pedro e Inês de Castro terão vivido na Serra D'El Rei, junto a Peniche, entre 1346 e 1352, alguns dos anos mais calmos e felizes de um amor trágico e proibido.

"Aqui e no Moledo", confirma o autarca Jorge Amador, que dá voz à lenda contada até aos dias de hoje. "D. Pedro I, a coberto da noite, fazia o caminho entre a Serra e o Moledo, e de forma a despistar quem o controlava manda montar as ferraduras ao contrário".

A partir desta quarta-feira, Dia dos Namorados, 14 de fevereiro, o novo Museu de Serra D'El Rei D. Pedro I dá a conhecer os caminhos da paixão clandestina, com o Atlântico no horizonte, entre o paço real e o palácio de Moledo.

De acordo com o presidente da Junta de Freguesia de Serra D'El Rei, é a presença do infante, mais tarde monarca, que fomenta uma época de prosperidade, com privilégios para os habitantes da povoação.

"D. Pedro esteve muito na nossa região, em Alcobaça, por exemplo. Naturalmente que esta era uma zona magnífica, já na altura. O porto de pesca não era o porto de Peniche, era o porto da Atouguia da Baleia, foi uma opção, em termos de local, mas que tinha a ver com a questão estratégica, numa zona magnífica para descanso, para lazer", sublinha Jorge Amador.

A exposição inaugural mostra esculturas de artistas locais, exibe trajes do Museu Nacional do Teatro e da Dança e recupera o amor de Pedro e Inês nas artes e nas letras em Portugal. Fica patente até 2020, com textos em braille e inglês. Um euro é o preço do ingresso.

"O objetivo é falar sobre a passagem de D. Pedro, a sua importância histórica, e também naturalmente falar dos amores de Pedro e Inês porque eles tiveram aqui uma parte importante dessa história", explica o autarca.

O Museu de Serra D'El Rei D. Pedro I é um investimento de 700 mil euros realizado pelo Município de Peniche em parceria com a Fundação Inês de Castro.

  COMENTÁRIOS