Cinema

Uma sátira ao antro de poder dos EUA. O "Vice" de George W. Bush chega ao ecrã

Estreia esta quinta-feira "Vice", uma comédia dramática e satírica nomeada para oito Óscares. Uma das estatuetas pode ir para Melhor Caracterização, tendo em conta as transformações dos atores.

Depois de realizar "A Queda de Wall Street", em 2015, sobre a história verídica de quatro homens que anteciparam o colapso global da economia dos Estados Unidos em 2008, Adam Mckay dedica-se em "Vice" aos meandros da política norte-americana.

PUB

Numa entrevista, o realizador e também argumentista, admitiu que "Dick Cheney não era um homem que procurava que fizessem um filme sobre ele", mas, depois de ler um livro sobre o político, ficou surpreendido "pela forma como mudou profundamente o curso da história dos Estados Unidos".

O resultado é "Vice", uma comédia dramática, biográfica e satírica sobre aquele que se tornou o vice-presidente mais poderoso na política norte-americana. Quando George W. Bush convida Dick Cheney para a vice-presidência, já o político percorria os corredores de Washington há décadas.

Começou como estagiário do congressista William A. Steiger, durante a administração de Richard Nixon e, pouco tempo depois, vai para a equipa de Donald Rumsfeld, de quem se tornou muito próximo.

Um burocrata talentoso nos jogos de poder, foi secretário da Defesa entre 1989 e 1993, membro da Câmara dos Representantes entre 1979 e 1989, e Chefe de Gabinete da Casa Branca entre 1975 e 1977, quando Gerald Ford era presidente. Retratado como homem de poucas palavras mas um bom ouvinte, Dick Cheney aprendeu a observar para subir na hierarquia política.

Casado com Lynne Vincent, namorada desde o liceu, o político teve nela a maior força e apoio. Inteligente e astuta, foi graças a Lynne que Dick Cheney não se perdeu no álcool durante a juventude. Nesta altura, depois de desistir da Universidade de Yale e a trabalhar na instalação de cabos de eletricidade, pouco fazia prever que anos depois chegaria ao topo.

Quando George W. Bush o convidou para a vice-presidência, Dick Cheney viu uma oportunidade de ouro na ingenuidade do herdeiro Bush. Na vice-presidência, ficou conhecido pelo papel determinante em decisões cruciais na política interna e externa dos Estados Unidos, em particular no pós 11 de setembro, na guerra contra o Iraque, Guantánamo e tortura de prisioneiros.

No filme de Adam Mckay, Christian Bale transforma-se em Dick Cheney: o ator ganhou peso e a caracterização fez o resto. Numa nota curiosa, ator e político partilham a mesma data de aniversário - 30 de janeiro. Quando ganhou o Globo de Ouro, Christian Bale agradeceu a Satanás pela inspiração.

  COMENTÁRIOS