Elton John despede-se dos palcos com digressão que também passa pela Europa

Mais de 50 anos de uma carreira que atravessa gerações é assinalada este ano com uma cinebiografia sobre a vida do músico e com uma volta ao mundo que vai prolongar-se por três anos.

Arrancou na Áustria a digressão de Elton John que marca o início de uma série de concertos que assinalam a despedida do músico de 72 anos.

O músico britânico termina a carreira com uma tournée que vai dar a volta ao mundo e que teve paragem esta quinta-feira, pela primeira vez, na Europa.

A digressão "Farewell, Yellow Brick Road - The Final Tour", que já passou pela América, teve o segundo grande andamento em Viena, seguindo-se atuações na Polónia, Republica Checa, Alemanha, Holanda e Dinamarca.

Em Copenhaga, o espetáculo pode trazer novidades... É que o Watford, clube de futebol que já foi de Elton John, vai jogar nessa noite, a 18 de maio, a final da taça de Inglaterra. Aliás, o guarda-redes Ben Foster já disse que esta data em Copenhaga devia ser cancelada, mas na página oficial do música continua disponível.

A canção "Candle in the Wind", feita em homenagem a Marilyn Monroe e mais tarde, noutra versão, à Princesa Diana, chegou a ser dedicada em palco a Marco Silva, o português que já treinou o Watford.

Recorde aqui o tema num espetáculo em 1986, na Austrália:

No final deste mês sai para as salas "Rocketman", a cinebiografia de Elton John, num filme realizado por Dexter Fletcher, que conta a história do músico, desde o tímido pianista Reginal Dwight até à super estrela mundial.

No papel principal está Taron Egerton, que canta alguns temas neste filme e também aborda os relacionamentos pessoais de Elton John e sua relação com a mãe e com as drogas.

O elenco conta ainda com o ator Jamie Bell, que interpreta Bernie Taupin, parceiro de composições de longa data e Richard Madden, o primeiro empresário do artista.

Veja alguns depoimentos dos principais protagonistas do filme que estreia no fim do mês:

A primeira vez que o músico atuou por cá foi no longínquo ano de 1971, na primeira edição do Festival Vilar de Mouros e quase de certeza que não voltará cá porque esta última e longa digressão. O mais perto que passa de Portugal é Madrid, com um concerto agendado para o dia 26 de junho.

Depois, a "Farewell, Yellow Brick Road" regressa aos Estados Unidos, vai andar pelo Canadá, Austrália, Nova Zelândia e novamente Europa, num total de 300 concertos que irão prolongar-se até 2021.

Uma pré-reforma de um Rocketman que agora pensa mais na família do que na música.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de