O rock está Alive

A segunda noite do Nos Alive foi um hino ao rock com as duas horas e meia de espectáculo dos Foo Fighters de Dave Grohl.

Miguel Fernandes conta a segunda noite do Nos Alive.

00:0000:00

As duas dezenas de canções com muita distorção, gritos e até o público a cantar para a banda que nasceu depois do final dos Nirvana, mostraram que o rock está bem vivo. E para ajudar à festa das guitarras também houve the kills, the cult, savages ou wild beasts...

Carminho transbordou no edp fado café e tanto no clubbing como no coreto a festa fez-se a dançar com portugueses.

O último dia do festival vai trazer mais uma multidão ao passeio marítimo de Algés e os depeche mode com novo disco. spirit é o nome do 14º disco da banda inglesa que já nasceu no início dos anos 80 mas que continua a arrastar multidões.

o palco principal vai abrir com a soul e os blues dos portugueses The Black Mamba e depois será a vez do rock dos irlandeses Kodaline e dos norte americanos Imagine Dragons. Só depois, o passeio marítimo de Algés poderá celebrar o Spirit dos Depeche Mode que em 2017 cantam (ou pedem) uma Revolution mas que terão muitos clássicos de mais de 30 anos de vida para partilhar com o público do Nos Alive.

Destaque ainda para o fado vadio da Tasca do Chico no EDP Fado Café, do "nosso" Salvador Martinha no fecho do palco Comédia, das várias propostas da Arruada no palco Coreto, dos 10 anos de Discotexas no palco NOS Clubbing e de Fleet Foxes, The Avalanches ou Peaches no palco Heineken.

Quando tudo isto chegar ao fim, terão passado pelo passeio marítimo de Algés cerca de 165 mil pessoas, na 11ª edição do NOS Alive.

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de