Presidente da República recorda a carreira de Dina

Marcelo Rebelo de Sousa recorda a vitória de Dina no Festival da Canção de 1992 e o percurso da cantora e compositora.

O Presidente da República recordou esta sexta-feira a carreira da compositora e cantora Dina, destacando a sua vitória no Festival da Canção com "Amor de Água Fresca", bem como os trabalhos que fez para teatro e hinos de partidos políticos.

"Embora já tivesse um percurso musical, nomeadamente com o Quinteto Angola, Dina tornou-se conhecida pelas suas participações na Festival da Canção no início da década de 1980, festival que viria a vencer em 1992 com a canção «Amor de Água Fresca» (com um poema de Rosa Lobato Faria)", lê-se numa mensagem de Marcelo Rebelo de Sousa, divulgada no 'site' da Presidência da República a propósito da morte da cantora, na quinta-feira à noite, aos 62 anos.

Na nota, o chefe de Estado lembra que Dina, depois de ter interpretado um dos temas da primeira telenovela portuguesa, Vila Faia, "manteve longa colaboração com produções televisivas", tendo ainda realizado trabalhos para teatro e até hinos de partidos políticos.

"O seu último álbum, uma coletânea com vários êxitos, é de 2008 e foi seguido de um concerto de trinta anos de carreira. Já doente, Dina despediu-se dos palcos em 2016, em concertos onde vários músicos das novas gerações lhe prestaram homenagem como compositora, intérprete e pioneira do pop-rock português", é ainda referido na nota.

Na mensagem, Marcelo Rebelo de Sousa, apresenta as suas condolências à família da compositora e cantora Dina.

A cantora Dina, responsável por temas como "Há sempre música entre nós" e "Amor d'água fresca", com o qual representou Portugal no Festival Eurovisão da Canção em 1992, morreu na quinta-feira à noite, aos 62 anos, no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, confirmou hoje à Lusa fonte hospitalar.

Dina é o nome artístico de Ondina Veloso, nascida em Carregal do Sal em 1956.

A cantora iniciou a carreira na década de 1970, tendo decidido terminá-la em 2016, dez anos depois de lhe ter sido diagnosticada uma fibrose pulmonar.

O final da carreira de Dina foi assinalado, em 2016, com um espetáculo, no Teatro São Luiz, em Lisboa, e no Teatro Rivoli, no Porto, que juntou de uma dezena de músicos portugueses.

Batizado "Dinamite", álbum de estreia da cantora, editado em 1982, o espetáculo contou com a participação, entre outros, de Ana Bacalhau, Da Chick, Best Youth, Mitó Mendes, Samuel Úria e Márcia.

"Guardado em Mim", "Pássaro Doido", "Há Sempre Música Entre Nós", "Em segredo", "Gosto do teu gosto", "Pérola, rosa, verde, limão, marfim", "Amor de Água Fresca" e "Aguarela de Junho" são alguns dos êxitos da cantora.

O velório da cantora realiza-se a partir das 17:00 de hoje na Igreja Paroquial de São Tomás de Aquino, em Lisboa, disse à agência Lusa fonte próxima da família.

Segundo a mesma fonte, o funeral, reservado a familiares e amigos da cantora, está marcado para as 14:00 de sábado, no Cemitério dos Olivais, também em Lisboa.

LER MAIS:

- Dina: 40 anos de emoções em palco

- Morreu a cantora e compositora Dina

- A Playlist de Dina. As músicas que marcaram a vida da cantora

- Dinamite: a música de Dina "rebentou" no Porto

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de