Música com cheiro: o perfume dos sons

O FIMA - Festival Internacional de Música do Algarve vai trazer, esta noite, uma experiência que alia cada música a um perfume.

O público vai receber amostras com cheiros diferentes para associar à música tocada pela Orquestra Clássica do Sul, que encomendou a peça ao compositor contemporâneo Bruno Soeiro.

Uma peça que vai ser ouvida esta noite, em estreia mundial, na Igreja do Carmo, em Tavira.

Rui Pinheiro, maestro titular da orquestra, revela que, a cada andamento, vai ser associada uma fragrância. Uma experiência sensorial que alia os sons ao cheiro dos perfumes: "É um formato novo e interessante".

Mas esta não é a única experiência dos sentidos que vai acontecer durante o FIMA. O Festival Internacional de Música do Algarve, que começou em março e se prolonga até maio, terá outra novidade, a 12 de maio: desta vez, não será o olfato a ligar-se à audição, mas, sim, o paladar.

Se, no último ano, a Orquestra fez a experiência de associar a cada músicauma iguaria, agora, é tempo para o vinho. "A um vinho mais encorpado aliar-se, por exemplo, uma música com sonoridade mais cheia, e, a um vinho de Verão, aliar-se uma música mais leve", diz o maestro.

O concerto acontecerá no Hotel da Quinta do Lago e cada bilhete tem o preço de 50 euros.

O maestro Rui Pinheiro recusa a ideia de que este seja um evento social, em que a música fica em 2.º lugar. Nada disso, garante. "É criar um conceito artístico e estabelecer um paralelo entre os vinhos e as peças de música". "Não é estar a fazer música de encher", afiança.

O Festival Internacional de Música do Algarve encerra a 24 de maio, com um concerto da violinista italiana Francesca Dego, acompanhada pela Orquestra Clássica do Sul, dirigida pelo maestro Peter Stark.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de