"Vê além do que ouves". Cinema e música juntos num festival

O Cinema São Jorge, em Lisboa, recebe a quarta edição do MUVI - Festival Internacional de Música no Cinema. Arranca esta quarta e vai até segunda.

Bossa nova, ópera, forró, rock, reggae, música clássica, hip-hop. Estilos diferentes para todos os gostos chegam a partir desta quarta-feira às telas do Cinema São Jorge. Durante seis dias, o MUVI traz a Lisboa os melhores filmes que têm sido feitos sobre música.

Filipe Pedro, diretor e programador do MUVI, explica que é quase um festival em diferido. "Quase como se fosse um canal de televisão ou uma rádio. Há várias coisas a acontecer. Esse lado é muito interessante - tentar ser o mais abrangente possível."

A ideia surgiu de uma tripla paixão: música, cinema e festivais. Criou-se uma cooperativa e em 2014 deu-se forma ao projeto, desde o primeiro momento acarinhado pelo Cinema São Jorge. "Já tinham sido sondados pelo IN-EDIT [festival de documentários de música no Brasil e em Espanha], mas optaram pela versão portuguesa."

O MUVI vai já na quarta edição. Filipe Pedro garante que há muita produção sobre música. Este ano, o festival exibe 200 filmes, de mais de 25 nacionalidades. A maioria documentários, todos feitos este ano ou no anterior.

Há também estreias europeias e mesmo mundiais, como é o caso de "Alacrán Soy Yo", de Juan Sebastian Alvarez, que acompanha um grupo de dança centenário que atua no Carnaval de Havana, em Cuba e que passa sexta-feira, às 18h30, no São Jorge.

Para além dos filmes em competição, longas, curtas-metragens e videoclips, o MUVI tem também sessões especiais. Uma delas vai celebrar os 25 anos do álbum de estreia dos Sitiados. A banda vai lá estar e vai ser projetado o concerto de 1993 no Portugal ao vivo. Sábado, às 21h00, a sessão é gratuita.

Mas há outras homenagens a produções nacionais. É o caso da exposição "As Lendas de 1967 - Portugal em Tons de Pop", de João Carlos Callixto ou a exposição de fotografias de Mário Pires para assinalar os 20 anos do Festival de Músicas do Mundo de Sines que se comemora no próximo ano.

Depois, há concertos. Na sexta-feira, Clementine às 23h00 e Lâmina às 00h30; Sábado, Iguana Garcia às 23h00 e Electric Man às 00h30; Domingo, Acid Acid às 21h30 e Homem em Catarse às 23h00.

E ainda um cineconcerto solidário. Charlie Mancini cria música para o clássico "Seven Chances" de Buster Keaston. A sessão é gratuita e o público é convidado a colaborar com a quantia que quiser para ajudar os refugiados sírios que vivem em Lisboa. Para assistir no domingo, às 16h00.

O MUVI arranca esta quarta-feira com as origens da Bossa Nova no filme "Eu, Meu Pai e os Cariocas" de Lúcia Veríssimo.

A sessão de encerramento fica por conta de "Living on Soul", de Jeff Broadway. O filme regista três dias de residência artística da editora Daptone no Apollo Theater, em Nova Iorque, por onde passam Sharon Jones e Charles Bradley - dois grandes nomes da soul que desapareceram recentemente.

"Living on Soul" passa no domingo, às 18h30. O festival continua até segunda-feira, com muitas sessões gratuitas e também preços especiais para estudantes.

VEJA TAMBÉM:
Um operário da música e a história da Bossa Nova

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de