Quatro milhões de euros por uma sinfonia de Mahler

A leiloeira Sotheby"s espera bater um recorde com a venda da partitura original da Segunda Sinfonia de Gustav Mahler. Atualmente, a mais valiosa obra musical pertence a Mozart, custou 3,6 milhões.

A obra completa demora hora e meia a ser tocada e só o manuscrito é composto por 232 páginas.

Escrita no final do século XIX, a Segunda Sinfonia de Mahler é apresentada como uma das mais monumentais e importantes sinfonias de todos os tempos. É também uma obra que exerceu um forte fascínio sobre Gilbert Kaplan, o (agora) falecido dono da partitura que vai ser leiloada.

Partitura manuscrita da Segunda Sinfonia de Mahler vai ser leiloado

00:0000:00

Em abril de 1965 um amigo levou-o a assistir a um ensaio desta obra no Carneggie Hall, em Nova Iorque. Na altura, Kaplan era apenas um jovem economista a trabalhar em Wall Street e estava a meses de fundar a Institutional Investor, uma revista que anos mais tarde iria vender por 75 milhões de dólares.

Mas ao ouvir esse ensaio, converteu-se. Acabou por "dedicar sua vida a cumprir seu sonho de dirigir a peça com as maiores orquestras do mundo", diz a Sotheby's. Aos 25 anos, e para além da vida profissional enquanto economista, Kaplan decidiu estudar direção de orquestra e fazer-se maestro.

Acabou por conseguir comprar o manuscrito original da partitura e, ao longo de três décadas conduziu a Segunda Sinfonia de Mahler mais de cem vezes em palcos de todo o mundo, de Nova Iorque e Viena, a Salzburgo.

É amanhã que a Sotheby"s vai leiloar a partitura.

Simon Maguire, que organiza a venda, sublinha que pode tornar-se a obra musical mais valiosa de sempre, basta que a venda supere os 3,6 milhões de euros alcançado em 1987 aquando da venda de algumas sinfonias de Mozart.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de