3500 euros por jogador para viciar resultados na II Liga

PJ investiga pagamentos a jogadores, bastante acima do salário médio mensal naquela competição. Notícia é do JN, que fala em escutas telefónicas e de suspeitas com apostas online.

O Ministério Público suspeita que os jogadores envolvidos no caso de alegada viciação de resultados na II Liga de futebol ganharia 3500 euros, muito acima da média de rendimentos dos jogadores nesta prova - 1000 euros por mês, diz esta manhã o JN. Mas o principal alvo da PJ são os esquemas criminosos associados às apostas online, podendo estar em causa um conhecido site chinês.

Alguns dos resultados seriam combinados e teriam que ter, entre outras coisas (números de cantos marcados, por exemplo), uma diferença de três golos.

O Jornal de Notícias adianta que a PJ recorreu a escutas telefónicas para adiantar a investigação, antes de fazer 15 detenções no sábado passado, precisamente no dia em que se conheceram os resultados finais da prova. Entre os detidos estão o presidente do Leixões, Carlos Oliveira, e o diretor, Nuno Silva, desta feita suspeitos de tentarem influenciar os resultados, para além de quatro jogadores do Oriental detidos após o jogo com o Atlético.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de