A comunidade LGBT, um georgiano e o novo prémio da UEFA

O "Equal Game", como é designado o novo prémio da UEFA, é atribuído a um jogador que promova a diversidade, a inclusão e acessibilidade no futebol europeu. O galardão será entregue a 30 de agosto.

A UEFA criou um novo prémio, designado de "Equal Game", que serve para distinguir jogadores que tenham servido de modelo na promoção da diversidade, inclusão e acessibilidade no futebol europeu.

Guram Kashia, capitão da seleção georgiana, foi o grande premiado pelo principal organismo do futebol europeu.

O jogador, que tem dois golos marcados em 64 jogos, pela Geórgia, foi recompensado pela UEFA, por ter assumido uma posição pública de defesa da igualdade. O caso remonta à época passada, quando o defesa central jogava no campeonato holandês, onde era capitão do Vitesse. Kashia, juntamente com outros capitães de equipas da liga holandesa, decidiu usar uma braçadeira com as cores do arco-íris, de maneira a demonstrar apoio à comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais).

A atitude do defesa central, que alinha atualmente na 1.ª liga de futebol dos Estados Unidos da América, ao serviço do San Jose Earthquakes, gerou muita polémica no seu país, onde inclusive houve pedidos de georgianos a apelar para que Kashia não voltasse a representar a seleção.

Após o apoio público à igualdade para todos, o futebolista de 31 anos recebeu bastantes elogios, incluindo do atual presidente da Federação Georgiana de Futebol (GFF), Levan Kobiashvili, através da sua página oficial no Facebook.

AleksanderČeferin, presidente da UEFA desde 2016, altura em que substituiu Ángel María Villar (presidente interino da UEFA entre 2015 e 2016, em substituição de Michel Platin, que tinha sido suspenso do cargo), felicitou o gesto de Kashia: "Felicito Guram pelo seu forte caráter e pela sua coragem. O Guram tomou uma posição importante em apoiar a comunidade LGBT e a igualdade em geral e merece ganhar este prémio."

"Apesar das suas ações terem provocado ameaças e abuso de muitos grupos, ele pregou tolerância e aceitação e ajudou a mudar a perceção desse grupo minoritário do seu país natal, a Geórgia", acrescentou Čeferin.

"A introdução do prémio Equal Game visa celebrar e reconhecer jogadores que promovam a diversidade, inclusão e acessibilidade, que são os valores da nossa campanha", explicou o dirigente esloveno.

"O futebol é uma força para a mudança social e as pessoas que são exemplos nas suas comunidades, e que utilizam o desporto para o bem, devem ser recompensadas.", concluiu Aleksander Čeferin.

Guram Kashia agradeceu à UEFA e ao presidente da instituição, que tutela o futebol europeu, o galardão que lhe foi atribuído: "Sinto-me honrado pelo facto da UEFA ter-me escolhido como vencedor do prémio #EqualGame. Eu acredito na igualdade para todos, não importa aquilo em que tu acreditas, quem tu amas ou quem tu és".

"Agradeço ao presidente da UEFA, AleksanderČeferin, por este prémio, e continuarei sempre a defender a igualdade e a igualdade de direitos para todos, onde quer que eu jogue", acrescentou o jogador.

" Eu estarei sempre a favor da igualdade nos seres humanos, seja dentro do campo ou fora dele", rematou Kashia.

A iniciativa dos capitães, em usar braçadeiras com as cores do arco-íris, na Holanda, pertencia à Fundação John Blankenstein , uma organização inspirada no falecido ex-árbitro e ativista gay holandês, que visa melhorar a aceitação LGBT no desporto organizado.

O prémio da UEFA reflete o espírito essencial da sua campanha "Equal Game" (jogo igual), que se baseia em que todos tenham o direito de desfrutar do futebol, independentemente da etnia, idade, sexo, orientação sexual, origem social ou crenças religiosas.

O primeiro prémio "Equal Game" será entregue ao internacional georgiano, Guram Kashia, durante a gala da UEFA, onde também vai decorrer o sorteio da fase de grupos da Liga dos Campeões, e ainda a atribuição do prémio do melhor futebolista do ano a atuar na Europa, para o qual está nomeado o português Cristiano Ronaldo . O evento está agendado para o dia 30 de agosto, no Mónaco.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de