Darwin penteia a bola para marcar e colocar o Benfica nos quartos da Champions

Seis anos depois, o Benfica apurou-se para os quartos de final da Liga dos Campeões, depois de vencer em Amesterdão o Ajax por 1-0, com um golo de Darwin Nuñez aos 77 minutos. Veja o lance.

Foi num ambiente frenético que a Johan Cruyff Arena, em Amesterdão, recebeu o Benfica para o jogo decisivo frente ao Ajax. Depois do empate (2-2) na Luz, os encarnados tinham a oportunidade de marcar presença nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, um lugar que não alcançam há seis anos. No entanto, pela frente, tinham uma equipa muito ofensiva e eficaz.

Com mais de 100 golos marcados nas provas internas, o Ajax entrou a tentar impor o seu jogo, circulando a bola em toda a largura do campo e explorando o espaço entrelinhas concedido pelas águias.

Já o Benfica aproveitava a velocidade de Darwin e Rafa para ensaiar o contra-ataque. Contudo, foram os neerlandeses a criar a primeira oportunidade de perigo. Logo aos sete minutos, a equipa de Amesterdão viu Haller a marcar, mas o avançado costa-marfinense estava em posição irregular.

O jogo começou a ter um sentido único, à medida que o cronómetro avançava. Os neerlandeses pressionaram muito a defensiva encarnada, explorando sobretudo o esquerdino Antony que fazia o que queria através do flanco direito.

Com muitas bolas cruzadas para a área, Vlachodimos mantinha a segurança entre os postes, fazendo igualmente várias defesas que mantiveram o nulo no marcador. Até ao intervalo, o Benfica ainda conseguiu beneficiar de um pontapé de canto, mas sem criar perigo junto à baliza de Onana.

Na segunda parte, o Ajax manteve o domínio no jogo, com uma posse de bola superior 60%. No entanto, pecava na finalização. Os avançados da formação neerlandesa mostravam alguma ansiedade no momento da decisão.

O Benfica tentava explorar o contra-ataque, sem contudo assustar Onana. Aos 60 minutos, na área de Vlachodimos, o esquerdino Antony apareceu na marca de penálti a cabecear, mas para fora.

Aos 76 minutos, em mais uma jogada de contra-ataque, Gonçalo Ramos fugiu pelo lado direito, tendo sido travado em falta. Na sequência do livre indireto, cruzamento para a área e Darwin, de cabeça, antecipou-se à defesa neerlandesa e abriu o marcador.

Com a vantagem no marcador, a equipa de Nelson Veríssimo encostou-se à área para defender o resultado, que garantia o bilhete para os quartos de final.

Onze do Ajax: Onana, Mazraoui, Timber, Martínez, Blind, Álvarez, Gravenberch, Berghuis, Tadic, Antony e Haller

Onze do Benfica: Vlachodimos, Gilberto, Otamendi, Vertonghen, Grimaldo, Weigl, Taarabt, Everton, Rafa, Gonçalo Ramos e Darwin

Suplentes do Ajax: Tytoń, Setford, Schuurs, Rensch, Tagliafico, Klaassen, Labyad, Kudus, Taylor, Danilo, Brobbey e Daramy

Suplentes do Benfica: Helton, Lázaro, André Almeida, Morato, Meïté, Diogo Gonçalves, João Mário, Radonjić, Gil Dias, Paulo Bernardo, Yaremchuk e Henrique Araújo

Árbitro: Carlos del Cerro Grande (ESP).

Assistentes: Juan Carlos Yuste e Roberto Alonso Fernández.

VAR: Alejandro Hernández.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de