"É de loucos!" Álvaro Magalhães arrasa atual situação do Benfica

Antigo jogador e treinador dos encarnados diz à TSF que faltou uma voz de liderança e recorda um episódio quando era adjunto de Trapattoni.

A 3 de agosto de 2020, Jorge Jesus prometeu "arrasar" os adversários. Foi a palavra que sobressaiu daquele que era o regresso à Luz e ao futebol português depois do êxito conquistado no Brasil ao serviço do Flamengo.

A vinda do técnico de 67 anos tinha sido uma escolha pessoal do então presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, entretanto afastado da liderança do clube. Quase ano e meio depois, o balanço de Jesus à frente dos encarnados é negativo: o treinador deixa o leme das águias sem qualquer título conquistado.

Para Álvaro Magalhães, antigo jogador e treinador dos encarnados, o Benfica foi arrastado para uma "situação de loucos". É desta forma que o antigo defesa olha para a saída de Jorge Jesus.

"Realmente é uma situação muito difícil para o treinador. Penso que é de loucos, de loucos, os jogadores não quererem treinar e o treinador a desistir. Mas nisto, quando o treinador sai, mas por vezes sabe que o ambiente à sua volta não era o melhor", sublinha em declarações à TSF.

"O que se passou hoje, os jogadores não quererem treinar, isto tinha de ser dissipado em grupo, alguém tinha de ir à frente aos jogadores, saber o que se está a passar. Isto não é mau para os treinadores ou jogadores, isto é mau para o clube", acrescenta.

Álvaro Magalhães recorda que o que se terá passado entre Jesus e Pizzi já aconteceu no passado precisamente na altura em que era adjunto de Trapattoni. "A estrutura esteve sempre ao lado do seu treinador e foi sempre à procura de quem era a ovelha ranhosa e às vezes a ovelha ranhosa (...) temos de a eliminar. "

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de