Jogadoras de futebol do Rio Ave acusam atual treinador do Famalicão de assédio sexual

O presidente do Famalicão foi alertado, mas garantiu que a questão estaria resolvida após ter discutido o assunto com responsáveis pelo futebol feminino.

PorCristina Lai Men com Carolina Quaresma
© Pixabay

É a primeira denúncia de um caso de assédio sexual no futebol português. Várias jogadoras da equipa de futebol feminino do Rio Ave acusam o antigo treinador de as ter assediado com mensagens íntimas. O técnico já não está no Rio Ave e, apesar dos vários alertas feitos pelas jogadoras, é agora treinador do escalão principal do Famalicão.

A abordagem era quase sempre a mesma: o treinador começava por perguntar se a jogadora queria ganhar ou perder peso, para, de seguida, pedir que enviassem fotos em segredo.

Uma das jogadoras da equipa de futebol feminino do Rio Ave conta ao jornal Público que o treinador chegou a pedir-lhe vídeos, alegando que gostava de ver os movimentos corporais. Também perguntou se ela gostava de mulheres ou homens e se ele tinha algum aspeto físico que a jogadora achasse atraente.

Ouça aqui as explicações da jornalista Cristina Lai Men

Your browser doesn’t support HTML5 audio

Além das mensagens escritas, às quais o Público teve acesso, o treinador Miguel Afonso ligava às jogadoras com perguntas tão estranhas que uma delas contou aos pais. Eles ouviram uma das chamadas, concluindo que a situação não era normal. Assim que a jogadora contou ao treinador que os pais sabiam, os contactos pararam, mas ela não foi convocada e acabou por ser relegada para os escalões de formação do Rio Ave.

Outra jogadora contou ao namorado, que confrontou Miguel Afonso. O treinador pediu desculpa, alegando que era uma brincadeira. As jogadoras, com idades entre os 18 e 20 anos, denunciaram o assédio sexual, mas Miguel Afonso sempre negou as acusações.

Certo é que esteve no Rio Ave apenas na época 2020/2021. Saiu a seguir para a Ovarense e assumiu, esta época, o comando técnico do escalão principal do Famalicão.

O Público adianta que o presidente do Famalicão foi alertado para as provas sérias de assédio sexual, mas garantiu que a questão estaria resolvida após ter discutido o assunto com responsáveis pelo futebol feminino.

O regulamento da Federação Portuguesa de Futebol prevê, desde julho, castigos para casos de assédio sexual. Os agentes desportivos podem ser suspensos entre três meses a um ano.

Relacionados

Veja Também

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG