UEFA anuncia sanções a nove dos doze clubes fundadores da Superliga

Clubes ficam sujeitos a um corte de 5% das receitas que resultem das competições da UEFA durante uma época.

PorTSF com agências
© Richard Juilliart/UEFA/AFP

A UEFA anunciou esta sexta-feira um conjunto de sanções, que inclui punições financeiras, a nove dos 12 clubes fundadores do projeto entretanto abandonado da Superliga Europeia.

O órgão que tutela o futebol europeu dá conta de que, depois de os clubes em questão terem "pedido desculpa" e reconhecido o "erro", acordou com os mesmos uma "Declaração de Compromisso do Clube", no que diz ser um "espírito de reconciliação".

Os nove clubes sancionados aceitaram um corte de 5% das receitas "decorrentes das competições de clubes da UEFA por uma época, que serão redistribuídas".

Cada um dos clubes vai também fazer um donativo de 15 milhões de euros, que serão "usados em benefício das "raízes" do futebol e do futebol jovem e para crianças em comunidades locais espalhadas pela Europa, incluindo o Reino Unido".

Foram também acordadas multas a pagar caso qualquer um dos clubes "deseje participar numa competição não autorizada", no valor de 100 milhões de euros, ou se quebrar qualquer dos outros compromissos presentes na "Declaração de Compromisso do Clube", no valor de 50 milhões de euros.

Ficam assim sujeitos a estas condições os seguintes clubes de futebol: Arsenal FC, AC Milan, Chelsea FC, Club Atlético de Madrid, FC Internazionale Milano, Liverpool FC, Manchester City FC, Manchester United FC e Tottenham Hotspur FC.

Este grupo regressa também à Associação Europeia de Clubes (ECA), o único organismo representativo reconhecido pela UEFA.

"Ao aceitar os seus compromissos e a sua vontade de reparar a perturbação que causaram, a UEFA quer deixar este capítulo para trás e avançar com um espírito positivo", afirmou o presidente Aleksander Ceferin, em comunicado.

Da mesma forma, o dirigente reconheceu que "o mesmo não pode ser dito dos (três) clubes que continuam envolvidos na chamada Superliga", casos que, vincou, "a UEFA tratará em conformidade". Barcelona, Real Madrid e Juventus - vão ser "prontamente encaminhados" para os órgãos disciplinares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG