De génio e de louco(s), este jogo não teve pouco. Benfica derrota Sporting em Alvalade

Benfica venceu por 4-2 e aumentou para oito pontos a vantagem sobre os leões. Veja os golos.

Águias, leões e um relvado à disposição de ambos: o resultado foi um jogo para relembrar. Para quem esteve a comandar as equipas a partir dos bancos, esta foi uma estreia absoluta... e de loucos. Marcel Keizer e Bruno Lage assistiram na primeira pessoa a um dérbi com seis golos (válidos) e um rol de jogadas para relembrar, analisar e afinar. Para a história fica a vitória por 4-2 do Benfica sobre o Sporting, mas na retina fica muito mais do que o resultado.

Antes do início da partida já Alvalade estava em rebuliço e não apenas porque estava prestes a assistir a um dérbi. Nas bancadas estava um convidado de honra: Cristiano Ronaldo veio a Lisboa para assistir ao jogo entre o Sporting - equipa que o formou - e o Benfica.

Quem não conseguiu entrar a tempo em Alvalade perdeu cinco minutos de intensidade máxima, com ameaças de golo de ambas as equipas. Primeiro foi o Sporting que, por Bas Dost, ameaçou dar um desgosto a Vlachodimos. No instante seguinte, já Grimaldo corria pelo corredor esquerdo até ao interior da grande área leonina. No cruzamento não conseguiu encontrar Seferovic e Wendel acabou por afastar o perigo.​​

Não resultou à primeira, resultou à segunda. Gabriel desmarcaGrimaldo, que volta a ter todo o espaço do mundo no corredor esquerdo e tira um cruzamento em balão para o interior da grande área. Seferovic e Félix tiveram tempo para trocar de posição e baralhar as marcações leoninas, algo que permitiu ao suíço cabecear à vontade, rasteiro e junto ao poste. Renan estava batido e Seferovic foi festejar à passagem dos 10'.

Na reação, os leões chegaram quase de imediato à grande área encarnada, mas o balão não teve um impacto tão positivo. Ainda assim, Bruno Fernandes teve à sua disposição um livre direto frontal a partir do qual fez a bola rasar o poste direito de Vlachodimos, que ficou a olhar. Valeu-lhe a cabeça de Seferovic, que centésimas de segundo antes tinha desviado aquela bola com a cabeça.

Aos 22 minutos, João Félix ainda festejou aquele que teria sido um grande golo... se tivesse sido validado. O jovem benfiquista roubou a bola a Wendel, serpenteou e, ainda fora da grande área, atirou a contar para o canto inferior esquerdo de Renan. Houve festejos encarnados, mas Soares Dias, chamado pelo VAR a ver as imagens, tomou a decisão final: o roubo de bola a Wendel tinha sido feito com recurso a uma falta, pelo que toda a jogada foi anulada.

Corria o minuto 36 quando João Félix voltou a introduzir a bola na baliza, desta vez a contar. Seferovic encontra o jovem avançado no corredor central e, com um passe rasteiro entre Coaes e André Pinto, desmarca-o. À saída de Renan, atira de pé direito para o fundo das redes e duplica a vantagem das águias.

Os leões não quiseram ir para o intervalo a perder por dois golos e foi o suspeito do costume que tratou desse assunto. Os leões saem em contra ataque pela esquerda e a bola chega ao pés de Wendel. O brasileiro envia a bola para o flanco contrário, onde Bruno Fernandes aparecia completamente sozinho. O português não se fez rogado: na passada, e de primeira, o médio disparou de pé direito para o fundo da baliza de Vlachodimos. Aos 42' o Sporting reduzia e o médio português batia o seu recorde de golos da época passada: este foi o 17.º de 2018/2019.

Se o Sporting conseguiu evitar ir para o intervalo a perder por dois, não conseguiu impedir que o cenário fosse esse no reatamento da partida. Aos 46' minutos, na sequência de um livre marcado por Pizzi a partir do lado direito do ataque benfiquista, Rúben Dias saltou entre os centrais leoninos e dilatou a vantagem encarnada. Estava feito o 3-1.

Aos 56' as águias saem em contra ataque pelos pés de Rafa. O português dá para o lado direito onde Pizzi remata cruzado para a defesa de Renan. Na recarga, Seferovic introduziu a bola na baliza, mas a bandeirola já estava levantada. Na outra baliza, foi Diaby quem correu, correu, correu... tanto que na hora de rematar já não tinha força nas pernas, algo que Vlachodimos agradeceu.

O Sporting ameaçou de novo aos 61' quando Raphinha cobrou um livre direto descaído para o lado direito do ataque leonino. O remate sobrevoou a barreira e foi bater no ângulo superior esquerdo da baliza de Vlachodimos que, em pleno voo, viu a bola sair pela linha de fundo.

Diaby tinha entrado endiabrado e, aos 66 minutos, voltou a mostrar que faz da velocidade a sua principal arma. O maliano voltou a ganhar a linha a André Almeida e, de forma paralela à linha de fundo, conseguiu mesmo chegar à pequena área onde encontrou Rúben Dias. A corrida do avançado leonino parou por aí, mas ficava o aviso.

Quem também já tinha avisado várias vezes era João Félix e, aos 70' minutos, voltou a mostrar porquê. Lançado pelo corredor central, entre Bruno Gaspar e Coates, João Félix fintou Renan mas acabou por ser derrubado pelo guardião brasileiro. Artur Soares Dias apontou de imediato para a marca da grande penalidade e foi Pizzi quem assumiu a responsabilidade. O português rematou para o canto inferior direito de Renan e o guarda-redes adivinhou o lado... o problema é que não conseguiu parar o remate. Estava feito o quarto golo benfiquista.

A resposta não se fez esperar: ​​​​​​​aos 77 minutos Jefferson tira um cruzamento a partir da esquerda que encontra Diaby ao primeiro poste. O maliano conseguiu mesmo introduzir a bola na baliza e festejou aquele que seria o segundo golo leonino... não tivesse marcado em fora de jogo. João Pinheiro alertou Soares Dias e o árbitro principal da partida não teve dúvidas: golo anulado. Entretanto, nas bancadas, era a debandada dos adeptos do Sporting: milhares de sportinguistas abandonaram os seus lugares e, os que ficaram, mostraram lenços e até cartolinas brancas a Keizer.

O que se seguiu foi a jogada mais confusa de toda a partida: Bas Dost aproveita uma defesa para a frente de Vlachodimos e envia a bola em direção à baliza. O holandês choca com o guarda-redes e Ruben Dias tira a bola em cima da linha de baliza. A bola acaba por sair pela linha lateral e o jogo é interrompido. Artur Soares Dias recorre ao VAR e toma uma decisão: Vlachodimos impediu Dost de chegar à baliza de forma intencional e, por isso, merece vermelho direto. É assinalada grande penalidade, Rafa sai para entrar Svilar e Bas Dost converte o castigo máximo. Tudo isto demorou bem mais de cinco minutos.

Por isso, Artur Soares Dias deu sete minutos de compensação. Daí até ao final, e num jogo de loucos, foram estranhamente poucas as oportunidades de golo. Deste jogo fica a letalidade da dupla Seferovic-Félix e a desorganização fatal da defesa leonina. Keizer aparenta ficar em maus lençóis: com este resultado, o Sporting fica a oito pontos do Benfica e pode ficar a 13 do FC Porto.

Seferovic marcou aos 10'.

O golo anulado a João Félix.

Félix marcou aos 36'.

Bruno Fernandes reduziu aos 42'.

Rúben Dias marcou o terceiro golo encarnado aos 46'.

Aos 56', Seferovic teve um golo anulado por fora de jogo.

Pizzi converteu uma grande penalidade a castigar falta sobre Félix aos 70'.

Bas Dost converteu um penálti aos 89'.

Onze do Sporting: Renan, Bruno Gaspar, Coates, André Pinto, Jefferson, Gudelj, Bruno Fernandes, Wendel, Nani, Raphinha e Bas Dost

Onze do Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Ruben Dias, Jardel, Grimaldo, Samaris, Gabriel, Rafa, Pizzi, Félix e Seferovic

Baixas de peso em ambas as equipas: Mathieu, Acuña e Ristovski não podem ir a jogo do lado do Sporting; Fejsa e Jonas estão indisponíveis do lado do Benfica.

Suplentes do Sporting: Salin, Ilori, Petrovic, Diaby, Borja, Luiz Phellype, Jovane

Suplentes do Benfica: Svilar, Cervi, Salvio, Krovinovic, Jota, Gedson e Ferro

No que diz respeito à arbitragem, a partida foi apitada por Artur Soares Dias, da AF Porto. No video-árbitro esteve João Pinheiro com o assistente Nuno Eiras. Em campo, Soares Dias foi auxiliado por Rui Licínio e Paulo Soares.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de