"Ao início eram três pessoas a gritar comigo, mas depois foi o estádio inteiro"

Marega voltou a falar sobre os insultos racistas em Guimarães, desta vez a uma rádio francesa.

Marega voltou a falar sobre os insultos racistas do último domingo em Guimarães, desta vez a uma rádio francesa, por chamada telefónica desde o Porto. Além de ter explicado o que sentiu naquele momento dentro das quatro linhas, o jogador do FC Porto revelou o que diria a Marcelo Rebelo de Sousa, caso se cruzasse com o Presidente da República.

"Se pudesse falar com o Presidente da República? Seria uma honra e podia dizer-lhe o que senti ao ser insultado daquela forma. Não gostei mesmo nada de sentir aquele ódio, fiquei muito desiludido", explicou Marega em entrevista à RMC.

No desabafo, Moussa Marega revelou que se sentiu muito desiludido com a forma como foi tratado no estádio, mas que esta segunda-feira já se sente melhor.

"Ontem foi muito mais difícil. Realmente senti-me uma merda. Foi uma grande humilhação para mim. Isto afetou-me. O jogo terminou, voltei para casa e no momento em que vi a minha filha voltei a sorrir novamente. Depois, todas as mensagens de apoio que recebi deram-me uma força incrível e, francamente, gostaria de agradecer a todas essas pessoas que me apoiaram", afirmou o avançado dos dragões.

Já em relação aos colegas de equipa, o futebolista disse que os companheiros não compreenderam, na altura, a sua decisão de abandonar o relvado.

"Acho que na altura não compreenderam, mas ficaram tocados com o que aconteceu. Foram reações de amigos, tentaram acalmar-me, mas disse-lhes que não valia a pena e que não conseguia jogar naquelas condições", acrescentou Marega.

Outras Notícias

Patrocinado

Apoio de

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de