"Atrevido e ambicioso." Quem é o novo treinador do Sporting

Esta não é a primeira vez que os caminhos de Jorge Silas e do Sporting se cruzam. Trinta anos depois de ter sido dispensado pelo clube, o treinador regressa pela porta grande.

Jorge Silas é, desde esta sexta-feira, o novo treinador do Sporting. Apesar disso, o técnico lisboeta não pode inscrever o nome na ficha de jogo por não ter terminado o nível IV do curso de treinadores da UEFA, necessário para treinar na I Liga.

O técnico de 43 anos não terá uma tarefa fácil, mas o treinador Lázaro Oliveira, que o orientou no Atlético, disse à TSF que "Silas é muito confiante nas suas capacidades e tem condições para triunfar num 'grande'".

A carreira de treinador começou no Belenenses. O início não foi fácil. Silas chegou ao Restelo em janeiro de 2018, numa altura em que a equipa se encontrava no 11º lugar da I Liga. Apesar do bom resultado na estreia (1-1 frente ao Benfica), a equipa terminou o campeonato no 12º lugar. "Tinha uma sua ideia de jogo muito romântica; as coisas não saíram bem e reformulou-a. Começou a jogar um futebol mais compacto e veio à tona a sua qualidade enquanto treinador", explica Lázaro Oliveira.

Na temporada seguinte, a única que disputou completa, no Belenenses SAD, o pragmatismo deu resultado e terminou em 9º lugar. Esta foi mesmo a única equipa a roubou pontos a Bruno Lage, ao conseguir um empate a dois no Estádio da Luz.

Durante aquela época, nas cinco partidas em que orientou os azuis, que já não são do Restelo, não obteve qualquer vitória (três derrotas e dois empates). A saída prematura foi justificada pelo presidente da SAD com o argumento de um "desgaste da relação com a equipa técnica".

Agora no Sporting, o treinador Manuel Cajuda não tem dúvidas: "Vai continuar a surpreender." Em declarações à TSF, Cajuda explica que "há alturas em que os clubes não são atraentes, mas este é um momento em que é necessária uma mente muito forte, para contrariar uma série de teorias, que têm mostrado não ser as mais válidas". O Silas "tem essa força", diz. O técnico Algarvio orientou Silas quando este era jogador da União de Leiria, e recorda um médio ofensivo que, "enquanto jogador, tinha um talento e comportamento exemplares".

Marcado por Jesus

E a carreira de jogador profissional até podia ter passado pelo Sporting. O novo treinador dos leões tentou a sua sorte em Alvalade nas épocas 1987/88 e 1988/89, quando integrou os escalões de formação leonina.

Mas, na altura, o Silas que pontificava em Alvalade era outro: Paulo Silas, internacional brasileiro que representou o Sporting entre 1988 e 1990, e uma das "garras do leão" de Jorge Gonçalves. Quando o brasileiro abandonou Alvalade, já Jorge tinha seguido para outras paragens. Na transição dos infantis para os iniciados, acabou dispensado. "Era franzino, baixinho, e, naquela altura, dava-se muita importância ao físico. Mas, olhando para trás, acho que tomaram a decisão correta", explicou Silas, em entrevista ao Jornal Expresso, em 2017.

Mudou-se então para o Atlético, clube ao serviço do qual terminou a formação e começou a carreira sénior. Em 1998, rumou a Ceuta de Espanha, e, três anos depois, voltou a Portugal. A União de Leiria foi o destino escolhido. Em 2002/2003, com Manuel Cajuda aos comandos, o clube do Liz consegue um histórico 5º lugar na I Liga, e Silas é chamado por Scolari a representar a seleção em três ocasiões, as únicas da carreira. No final da época, Silas muda-se para o Wolverhampton de Inglaterra.

Fica apenas um ano na Grã-Bretanha e vai jogar para a ilha de Madeira. Em 2005, assina com o Belenenses, clube em que permanece durante quatro anos. Em Belém, cruza-se com com Jorge Jesus, o treinador que mais o "marcou", como referiu ao semanário Expresso, apesar de também ter sido orientado por José Mourinho. Em 2009, abandona Belém e regressa a Leiria para uma época e meia.

Aos 34 anos, aventura-se no Chipre, onde conhece três clubes, e decide regressar ao Atlético em 2014. Fica apenas um ano na tapadinha, e ruma a uma breve passagem pela Índia, antes de assinar pelo Cova da Piedade ainda a tempo de ajudar o clube a subir à II Liga.

Na época 2016/2017, disputa a II Liga com o Cova da Piedade. Aos 41 anos, 674 jogos e 86 golos depois, Silas deu por encerrada a carreira de futebolista.

Jorge Silas assinou contrato válido até ao final da época com mais um ano de opção.

O novo treinador do Sporting já garantiu saber como lidar com um balneário afetado pelos maus resultados. Na apresentação como novo técnico, Jorge Silas invocou a sua experiência para lembrar que, como jogador, sentiu muitas vezes o que era não poder sair à rua por causa das críticas.

Frederico Varandas fala, no entanto, de uma nova equipa técnica sem medo.

Na sua apresentação, o presidente do Sporting não quis responder aos jornalistas e fez apenas um breve declaração. Assumiu, no entanto, frustração pelo mau momento.

O novo técnico poderá trazer uma nova esperança; assina até ao final da temporada, com mais uma época de opção.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de