Aumentam as dúvidas sobre a veracidade do teste positivo de Djokovic

Investigação da BBC levantou mais dúvidas sobre a veracidade do teste positivo feito pelo tenista a 16 de dezembro e que Djokovic usou como desculpa para receber uma isenção médica e entrar na Austrália

Uma investigação da BBC concluiu que o número de série do teste positivo feito por Novak Djokovic a 16 de dezembro, e que o tenista usou como desculpa para receber uma isenção médica e entrar na Austrália, não corresponde ao resto dos testes realizados na Sérvia durante aqueles dias.

O número um do ténis mundial alegou ter testado positivo a 16 de dezembro para solicitar uma isenção médica que lhe permitisse entrar na Austrália para jogar o primeiro Grand Slam da temporada, uma vez que não foi vacinado. Esta isenção médica, juntamente com o visto, foi revogada pelo governo australiano após vários litígios, mas agora aumentam as dúvidas sobre se o teste positivo de Djokovic é verdadeiro.

A BBC analisou os testes realizados na Sérvia nos dias antes e depois do alegado contágio de Djokovic e verificou que o número de série do teste do tenista não corresponde aos restantes.

O jornal alemão Der Spiegel foi o primeiro a alertar para as suspeitas, mas não foi mais longe nas investigações.

Recorde-se que o tenista disse que, apesar de o laboratório ter os resultados do teste prontos no dia 16, só soube do teste positivo no dia 18, o que lhe permitiu ir, no dia 17, a um evento da Federação Sérvia de Ténis, na qual esteve sem máscara mas manteve o distanciamento social. Além disso, no dia 18, mesmo já sabendo do resultado positivo, deu uma entrevista no seu centro de ténis ao jornal desportivo francês L'Equipe, sem ter avisado o jornalista que o entrevistou da possibilidade de contágio. Um comportamento que vai contra a lei do país dos Balcãs, que exige 14 dias de quarentena após testes positivos.

A BBC deixa em aberto a possibilidade de as discrepâncias entre os testes e os números de série se poderem dever a uma possível "falha" ou que os testes tenham sido processados por laboratórios diferentes, mas revela que passou a investigação ao Instituto de Saúde Pública da Sérvia.

Para já, a equipa de Djokovic recusou comentar esta investigação.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de