Pizzi marca dois, mas podia não ter ficado por aí. Benfica volta a ganhar na Europa

A segunda parte trouxe os golos que não apareceram no primeiro tempo. Veja os golos.

O Benfica dominou a primeira parte, mas nunca encontrou o caminho para o golo. O tesouro estava guardado para o segundo tempo, a onze metros da baliza. Pizzi marcou o primeiro de penálti e o rematou em arco para o terceiro. O segundo golo, também de penálti, coube a Waldschmidt.

Pizzi é o marcador dos onze metros do Benfica, já o tinha feito frente ao Lech Poznan, mas, depois do primeiro golo, deixou o segundo para o jovem alemão. O capitão do Benfica quis oferecer confiança a Waldschmidt, que se estreou a marcar nas competições europeias.

A partida marcou o regresso do público ao Estádio da Luz. Pela primeira vez durante a pandemia de Covid-19, os encarnados tiveram adeptos nas bancadas, com quase cinco mil pessoas a assistir ao jogo.

Nuno Tavares, que substituí Grimaldo, foi o destaque das águias nos primeiros minutos. O jovem lateral tentou puxar a equipa para a frente, mas esbarrou na defesa dos belgas.

O Standard de Liège adota uma defesa com três elementos. No momento defensivo, os belgas colocaram cinco jogadores na zona mais recuada. Muitas cautelas da equipa belga.

Pedrinho, Waldschmidt e Darwin. O Benfica esteve sempre muito perto do primeiro golo. A insistência na área de Bodart levou a bola para Pedrinho que obrigou o guarda-redes do Standard a defesa apertada.

Os primeiros 15 minutos mostraram o Benfica totalmente por cima do jogo, as águias contavam com 75% de posse de bola. Ainda assim, os golos continuavam sem aparecer.

Sinal muito positivo para Vanheusden, defesa belga, que esteve imperial nas ações defensivas do Standard de Liège. Contra Darwin, cortou e tirou "o pão da boca" ao uruguaio.

Os jogadores encarnados jogavam, praticamente em exclusivo, no meio campo ofensivo. Os belgas defenderam com vários jogadores atrás da linha da bola e não permitiam a iniciativa do Benfica no último terço.

Foi a Pizzi que coube a primeira grande oportunidade para golo, com a baliza escancarada. Bodart chocou com o colega de equipa e deixou a baliza deserta. Pizzi recebeu, mas rematou muito por cima.

Primeiro cartão amarelo da partida foi para Diogo Gonçalves. Travou o contra-ataque do Standard, que podia levar perigo para a baliza de Vlachodimos.

Logo no início da segunda parte, penálti e golo para o Benfica! Waldschmid é derrubado, e Pizzi fez o primeiro da partida. Guarda-redes para um lado, bola para o outro. Benfica na frente do marcador.

O golo significou uma mudança de postura dos belgas, que procuraram o empate. A muralha defensiva do Standard de Liège ficou com os dias contados.

Vlachodimos teve de se esforçar apenas uma vez. Vanheusden surgiu solto ao segundo poste e obriga o guarda-redes encarnado a negar o empate.

Novo penálti para o Benfica, logo aos 66 minutos. Nuno Tavares foi derrubado na área e Waldschmidt aproveitou para fazer o segundo golo do jogo e o primeiro nas competições europeias.

Jorge Jesus mexeu na equipa ao minuto 71. Entrou Weigl e Seferovic, saiu Gabriel e Darwin. O uruguaio foi muito aplaudido pelos quase cinco mil adeptos no estádio.

A 15 minutos do fim, novo golo encarnado. Pizzi recebeu, deu três toques, e rematou em arco para dentro da baliza de Bodart. Estava feito o terceiro e o resultado final.

O Benfica segue na liderança do Grupo D, em igualdade pontual com o Rangers, que venceu o Lech Poznan.

Onze do Benfica: Vlachodimos, Diogo Gonçalves, Otamendi, Vertonghen, Nuno Tavares, Pizzi, Gabriel, Pedrinho, Everton Cebolinha, Waldschmidt e Darwin.

Onze do Standard de Liège: Bodart, Fai, Vanheusden, Dussenne, Gavory, Bokadi, Amallah, Cimirot, Bastien, Carcela, Oularé.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de