FC Porto goleia Boavista na visita ao Bessa

Veja os golos. Dragões marcaram cinco sem resposta em apenas 45 minutos.

O FC Porto venceu, este sábado, o Boavista por 5-0 na visita ao estádio do Bessa. Corona, Sérgio Oliveira, Marega, por duas vezes, e Luis Díaz foram os autores dos golos portistas, todos marcados na segunda parte.

Bastaram cinco minutos para que ambas as equipas mostrassem ao que vinham: um jogo disputado, sem medos de parte a parte e com vontade de atacar.

Aos oito minutos os boavisteiros ameaçaram de forma séria. Num livre estudado, a bola é bombeada para a grande área e Javi Garcia cabeceia ao segundo poste, de onde Benguche acerta na trave.

Na resposta, o FC Porto chega à grande área de Léo Jardim em quatro passes, mas ninguém foi capaz de desviar o cruzamento de Telles.

Com 25 minutos de jogo ficava mais claro que a ideia de jogo boavisteira, embora corajosa, não incluía pressionar alto a saída de bola portista, optando por absorver alguma da iniciativa ofensiva dos dragões em troca de uma defesa mais compacta.

O FC Porto voltou a ameaçar seriamente aos 40 minutos quando, depois de um cruzamento a partir da direita, viu a bola cair-lhe aos pés junto à marca do penálti. O maliano terá ficado surpreendido, porque tentou um remate à meia volta sem que tenha sequer acertado na bola.

Da primeira parte ficava na retina a exibição de Angel Gomes que, com 19 anos e escola do Manchester United, ia sendo a sendo a maior dor de cabeça para o FC Porto. Transportava, descobria espaços e punha a bola praticamente onde queria, sempre que queria.

E se a primeira parte não trouxe golos, a segunda arrancou com um. Danilo descobre Otávio do lado esquerdo do ataque portista e o brasileiro, depois de abrir espaço, encontrou Corona em desmarcação. Já de ângulo apertado, o mexicano fuzilou, de pé esquerdo, a baliza de Léo Jardim.

É caso para dizer que o Boavista "não se ficou". Em cima dos 50', Gustavo Sauer bate um livre em força que vai em direção à baliza, obrigado Marchesín a defender, por reflexo, para o ar. A bola sobra para um cabeceamento do Boavista que ainda é desviado antes de Marchesín, de novo, evitar o que seria o golo do empate.

Para não tirar o pé do acelerador, Sérgio Conceição lançou Luis Díaz para o lugar de Uribe. Dentro de campo, mensagem recebida.

Aos 58', Sérgio Oliveira aproveitou da melhor forma um livre direto frontal: rematou em força, a bola desviou na barreira e deixou Léo Jardim plantado. Estava feito o 2-0.

Vasco Seabra também respondeu com pé no acelerador: o recém-chegado Elis por Benguche. A aposta acabou por não dar certo. Na tentativa de reentrar no jogo, o Boavista subiu a defesa e Marega não perdoou: desmarcado em velocidade por Sérgio Oliveira, o maliano finalizou com calma e fez o 3-0.

Ainda o Boavista digeria o terceiro e já Marega voltava a marcar. Sérgio Oliveira dá início a uma jogada estudada e a bola acaba no interior da grande área, com Marega a ter tempo para receber, virar e atirar a contar para o 4-0.

O maliano ainda podia ter feito mesmo o hattrick aos 85', mas não foi capaz de evitar Léo Jardim na hora de rematar à baliza. Mas, se não marcou Marega, marcou Luis Díaz.

Manafá avançou sem oposição pelo lado direito, cruzo rasteiro e o colombiano recebeu, rodou e atirou a contar para o 5-0 final.

Onze do Boavista: Léo Jardim, Cannon, Rami, Gomez, Mangas, Javi Garcia, Nuno Santos, Paulinho, Sauer, Benguche e Angel Gomes

Onze do FC Porto: Marchesín, Manafá, Mbemba, Pepe, Alex Telles, Danilo, Uribe, Sérgio Oliveira, Otávio, Corona e Marega

Suplentes do Boavista: Bracali, Reisinho, Elis, Nathan, Show, Sebastian Perez, Hamache, Devenish e Morais

Suplentes do FC Porto: Diogo Costa, Diogo Leite, Luis Díaz, Taremi, Zaidu, Zé Luís, Romário Baró, João Mário e Fábio Vieira.

O árbitro deste jogo foi Luís Godinho, assistido por Rui Teixeira e Ricardo Santos. No VAR esteve Hugo Miguel.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de