Sporting marca três no Bessa e coloca-se a seis pontos do FC Porto. Veja os golos

Leões recuperam distância para os azuis e brancos, que perderam em Braga.

O Sporting venceu, esta segunda-feira, o Boavista por 3-0 no estádio do Bessa, com golos de Matheus Nunes, de Abascal na própria baliza e de Tabata, através de grande penalidade. Com este resultado, os leões somam 76 pontos e colocam-se a seis do FC Porto, aproveitando assim da melhor forma a derrota dos dragões em Braga. O Boavista mantém o 12.º lugar, com 33 pontos, mais um do que o Vizela.

Rúben Amorim não foi ao Bessa para perder a oportunidade de colocar-se a seis pontos do FC Porto. A atacar desde o início, embora sem um ponta de lança declarado em campo, os leões foram mandando no jogo e, não fosse Bracalli, até teriam marcado por Pote perto dos 25 minutos, já depois de um período de controlo prolongado.

Manteve-se o lema: não tirar o pé do acelerador. E deu frutos. Nuno Santos subiu pelo corredor esquerdo e tirou um cruzamento muito mal resolvido por Porozo - escorregou -, que deixou a bola à mercê de Pote. Deu de calcanhar e fez a bola rolar lentamente para Matheus Nunes, que aproveitou para atirar rasteiro e colocado para o 1-0.

Nem dois minutos depois, o Sporting já voltava a aproximar-se da baliza de Bracali, desta vez por Sarabia, que rematou também em jeito. Desta vez, o guarda-redes brasileiro voou ao encontro da bola.

Ao ver-se a perder ao intervalo, o Boavista ressurgiu no relvado do Bessa quase transfigurado. Começou a segunda parte muito pressionante e com nova disponibilidade mental para não perder o jogo da pressão com o Sporting. Talvez para combater essa nova luta, Amorim abdicou de Matheus Nunes para lançar Ugarte. Mas não sem antes ver Makouta atirar pertíssimo da baliza de Adán: por pouco não foi um remate tirado a papel químico daquele que deu em golo do Sporting.

Estaria prestes a correr bem ao Sporting. Edwards subiu pela direita e tirou um cruzamento que acabou por desviar em Abascal. A bola sobrevoou Bracali, foi bater no poste mais distante e andou por cima da linha de golo, mas pelo lado de dentro, o que quer dizer que os leões acabavam de marcar o 2-0. O golo acabaria por ser atribuído a Abascal, uma vez que o cruzamento de Edwards não saíra originalmente em direção à baliza.

O Boavista não desistia, mas falhava em encontrar soluções no ataque: ora eram os cruzamentos que saíam para a zona de ninguém, ora eram as arrancadas - sobretudo de Gorré - que acabavam sem perigo. O internacional por Curaçao, formado no Manchester United, acabaria por sair aos 74' sem o golo que tanto procurou.

Aos 78', e num momento em que Amorim já tinha abdicado de Sarabia e Coates para lançar Bragança e Feddal, o Sporting esteve perto do 3-0 quando Palhinha respondeu a um canto batido por Tabata com um cabeceamento à trave. Ora, Tabata não conseguiu a assistência, mas conseguiu o golo logo a seguir.

Aos 82', converteu com sucesso um penálti após falta de Abascal. Bracali ainda acertou no lado, mas o jogador leonino rematou tenso e baixo, levando a melhor no duelo dos 11 metros.

Em cima dos 90' ainda houve tempo para a bola entrar mais uma vez na baliza de Bracali, quando Feddal assistiu Gonçalo Inácio após um cruzamento a partir de um livre direto à direita, mas a jogada acabou por ser anulada por fora de jogo.

Onze do Boavista: Bracali, Cannon, Porozo, Abascal, Filipe Ferreira, Vukotic, Makouta, Nathan, Gorré, Malheiro e De Santis

Onze do Sporting: Adán, Neto, Coates e Gonçalo Inácio, Esgaio, Palhinha, Matheus Nunes, Nuno Santos, Edwards, Pote e Sarabia

Suplentes do Boavista: Beiranvand, Yusupha, Reymão, Namora, Hamache, Ntep, Martim Tavares, Luís Santos e Berna

Suplentes do Sporting: André Paulo, João Virgínia, Feddal, Tabata, Ugarte, Rúben Vinagre, Bragança, Gonçalo Esteves e Rodrigo Ribeiro

O árbitro da partida é Manuel Mota, auxiliado por Jorge Fernandes e Nuno Eiras. No VAR está Vítor Ferreira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de