Capitão da seleção dos Países Baixos vai usar braçadeira em apoio à comunidade LGBTI+ nos 'oitavos'

A UEFA rejeitou os planos da autarquia de Munique, que pretendia iluminar o estádio daquela cidade, o Allianz Arena, com as cores do arco-íris por ocasião do jogo entre as seleções da Alemanha e da Hungria.

Georginio Wijnaldum, o capitão da seleção de futebol dos Países Baixos, garantiu que vai usar a braçadeira com as cores do arco-íris no jogo dos oitavos-de-final, a realizar-se em Budapeste. O gesto pela inclusão surge após a decisão da UEFA de rejeitar a iluminação do estádio alemão de Munique, um dos palcos da competição do Euro 2020, com as cores do arco-íris, símbolo associado à comunidade LGBTI+.

A Hungria aprovou a 15 de junho uma lei proibindo "a promoção" da homossexualidade junto de menores de 18 anos, o que desencadeou a inquietação dos defensores dos direitos humanos, numa altura em que o Governo conservador de Viktor Orbán multiplica as restrições à comunidade LGBTI+.

O novo diploma húngaro "introduz uma proibição da 'representação e da promoção de uma identidade de género diferente do sexo à nascença, da mudança de sexo e da homossexualidade' junto de pessoas com menos de 18 anos", indicam os países signatários, condenando "uma forma flagrante de discriminação assente na orientação sexual, na identidade e na expressão do género".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de