Carvalhal quer SC Braga a "dar tudo para vencer" um Benfica "fortíssimo"

Numa curta abordagem ao seu futuro, o técnico minhoto diz que está "tudo em aberto", incluindo continuar no Braga ou ir para "Turquia, Brasil, países árabes ou Europa".

O treinador Carlos Carvalhal garantiu esta quinta-feira um Sporting de Braga a querer vencer na receção ao Benfica, sexta-feira, na 28.ª jornada da I Liga de futebol, e frisou que uma eventual continuidade no clube minhoto está em aberto.

Na última jornada, em Portimão, o Sporting de Braga pôs termo a três rondas seguidas sem vencer com o triunfo por 2-1 sobre o Portimonense, que se seguiu à qualificação europeia para os quartos de final da Liga Europa.

Já o Benfica, também ele apurado para os 'quartos', mas da Liga dos Campeões, regista sete jornadas consecutivas a somar pontos (cinco vitórias e dois empates) na I Liga e quer encurtar, ainda que possa ser provisoriamente, para três os pontos de distância para o Sporting, segundo classificado, que apenas joga no domingo, na receção ao Paços de Ferreira.

Carvalhal disse esperar "um jogo de elevadíssima dificuldade" diante do Benfica, mas prometeu um Sporting de Braga a "dar tudo para vencer".

"O Benfica é uma equipa fortíssima, tem feito uma melhoria no campeonato, fez uma grande campanha na Champions, mas jogamos em casa. Tem de ser uma noite à Braga, dando o melhor de cada jogador para elevar o coletivo e, além disso, termos os adeptos a apoiar-nos. Somos uma equipa muito jovem, jogadores que precisam de um aplauso quando erram um passe. Se tivermos uma noite dessas estaremos mais próximos desse objetivo, que é ganhar", reforçou, em conferência de imprensa.

O ponta de lança uruguaio Darwin, melhor marcador do campeonato, com 20 golos, está em dúvida na equipa do Benfica, mas o técnico dos minhotos disse estar preparado para "todos os cenários".

"Não me parece uma decisão líquida, até porque o Darwin viajou, mas não jogou. No entanto, estamos preparados para os vários cenários. A dinâmica da equipa do Benfica não se altera, só as características dos jogadores", disse.

O treinador, que termina contrato com os arsenalistas no final da presente temporada, rejeitou ainda a ideia de despedida após uma recente entrevista a um jornal turco e garantiu que "está tudo em aberto" para o "próximo trabalho, tudo será analisado, inclusivamente uma possível continuidade no Braga, ou Turquia, Brasil, países árabes ou Europa, tudo está em aberto".

"Conheço o presidente Salvador desde os 18 anos, ainda estava ele a preparar-se para presidente do Bairro da Misericórdia, as nossas famílias são amigas, os filhos dele andaram na escola com os meus, é o presidente mais impactante, com um trabalho absolutamente fantástico, nos 100 anos de história do Sporting de Braga. Não há qualquer quebra de relação com ele. Quando fui contactado [pelo Sporting de Braga], tive uma proposta de um dos maiores clubes do mundo [Flamengo] onde iria auferir cinco vezes mais do que vim ganhar e optei pelo Sporting de Braga, por ser daqui, por gostar do clube e conhecer bem o presidente e o clube. Pelo meio [Atlético Mineiro], houve possibilidade de ir ganhar cinco vezes mais e a equipa técnica optou por ficar e ainda bem que isso aconteceu. E não estamos nada arrependidos, só de viver noites como com o Sheriff [em Braga] e as duas com o Mónaco, cobre o dinheiro", disse.

Carlos Carvalhal considerou ainda que indefinição no comando técnico do Benfica não terá peso na equipa 'encarnada' e considerou benéfica a paragem no campeonato por causa dos compromissos da seleção.

"A paragem foi boa por causa da sequência de jogos e não temos o plantel extenso, não temos muitos jogadores habituados a jogar à quinta e ao domingo. Saímos bem da Liga Europa, tivemos uma sequência boa com o Portimonense [vitória por 2-1], até seria importante continuar a jogar, mas a verdade é que deu para recuperar energias e alguns jogadores", disse.

O jogo com os 'encarnados' antecede a primeira mão dos 'quartos' da Liga Europa, com o Rangers, também em Braga, mas Carlos Carvalhal garante o foco apenas na receção com o Benfica.

"Vou lembrar-me [do jogo com o Rangers] quando apanhar o avião no sábado para ver o dérbi com o Celtic. A informação da Liga Europa é quase zero porque o foco está no Benfica, só depois estará no Rangers. Nesta altura, o Sporting de Braga está nos quartos da Liga Europa, no quarto lugar, é a equipa mais jovem da Liga Europa, a que mais ataca e remata na Liga Europa. São dados extraordinários a que vamos tentar dar continuidade", disse.

O técnico fez questão de "esclarecer" que a aposta na juventude não foi circunstancial, nem fruto da saída de alguns jogadores mais experientes em janeiro, mas uma "aposta declarada" desde o início da época.

"Na primeira época [de Carvalhal no Braga], da formação, não contando com o David Carmo, estava o Moura e o Bruno Rodrigues, que começaram a época. No ano seguinte [esta época], no desenho que fizemos dos dois jogadores por posição, incluímos o Hornicek, Bruno Rodrigues, Buta, Guilherme Soares, Roger, Vitinha e o Gorby após a saída do Fransérgio. Em janeiro, em função das saídas do Mario González, Piazon, Chiquinho e do Galeno incorporámos o Rodrigo Gomes e o Falé. Não houve mudança nenhuma em janeiro, mas uma aposta declarada [desde o início]. Esta aposta não é definida pelo treinador, mas pela administração, pelo presidente, cumpre ao treinador cumprir essas diretrizes", afirmou.

Sequeira, Gorby e Roger, lesionados, estão de fora do jogo de sexta-feira.

Sporting de Braga, quarto classificado, com 49 pontos, e Benfica, terceiro, com 61, defrontam-se a partir das 20:15 de sexta-feira, no Estádio Municipal de Braga, jogo que será arbitrado por Luís Godinho, da Associação de Futebol de Évora.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de