Citroën deixa Mundial de ralis após saída de Sébastien Ogier

Ogier perdeu o título de campeão do mundo, e deciciu abandonar a equipa francesa. A Citroën culpa o piloto pela desitência do mundial de ralis.

A Citroën anunciou esta quarta-feira a desistência do Mundial de Ralis ao mesmo tempo que confirmou a saída do piloto francês Sébastien Ogier, que tinha mais um ano de contrato com a equipa gaulesa.

"Sem Sébastien Ogier e sem mais nenhum piloto de topo disponível para lutar pelo título, a Citroën tomou a dexisão de abandonar antecipadamente o seu programa no Mundial de ralis", anunciou a marca em comunicado.

Linda Jackson, diretora geral do construtor francês, apontou baterias na direção do antigo campeão mundial.

"A nossa decisão de parar o programa WRC no final de 2019 é motivada pela decisão de Sébastien Ogier de deixar a Citroën Racing. Esta é, obviamente, uma situação que não queríamos, mas não programámos a temporada 2020 sem Sébastien Ogier", sublinhou.

Depois de seis campeonatos consecutivos, com VW (quatro) e Ford (dois), Ogier perdeu este ano o título para o estónio Ott Tanak (Toyota).

Ao longo da temporada, o piloto francês mostrou o seu desagrado com a falta de competitividade do C3. A saída de Tanak da Toyota rumo à Hyundai no final desta temporada precipitou a decisão de Ogier, tentado por uma proposta da equipa nipónica.

Ogier deverá ser anunciado piloto da Toyota na próxima segunda-feira, juntamente com o britânico Elfyn Evans e o finlandês Kalle Rovanpera.

A Citroën deixa os ralis após 102 vitórias e oito títulos de construtores.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados