Com Ronaldo a jogar até aos 39 anos. Fernando Santos diz que a seleção quer ganhar tudo

O selecionador nacional vai regressar à competição em setembro, depois de ter estado dez meses sem treinar.

A seleção nacional prepara-se para regressar aos relvados após dez meses de paragem forçada devido à pandemia. Com o Euro 2020 adiado para o próximo ano, Fernando Santos quer aproveitar a Liga das Nações para preparar a defesa do título europeu. Em entrevista ao jornal A Bola, o selecionador nacional admite ainda que Cristiano Ronaldo pode ter uma carreia a alto nível aos 39 anos.

Na próxima segunda-feira, o selecionador nacional vai anunciar a convocatória para os jogos com a Croácia e com a Suécia, a contar para a segunda edição da Liga das Nações. Fernando Santos admite que é necessário começar a pensar no europeu, mas sem descurar o fundamental: "Somos detentores da Liga das Nações, uma motivação, queremos ganhar".

"Vamos lutar na mesma para ganhar. Não abdico de nada. Nunca! Somos uma seleção que ganha! Vamos aproveitar ao máximo estas três janelas que teremos até final do ano para fazer tudo. Queremos fazer tudo bem. Ganhar e preparar", afirma.

A Covid-19 obrigou as seleções a modificar o calendário, e, num período em que Portugal devia ter realizado dez jogos, nem por uma vez Fernando Santos pisou o relvado. O selecionador nacional admite, por isso, que a porta para os novos internacionais está "um pouco mais fechada".

"Os jogadores que não conhecem a casa nestas circunstâncias têm a porta um pouco mais fechada. Será uma convocatória pouco surpreendente. Os jogadores que chegam para se estrear em treino connosco estão efetivamente em testes e sabem que pode não haver amanhã", explica.

Fernando Santos admite, no entanto, que os jogos particulares de outubro e novembro podem ser uma janela de oportunidade para os mais jovens, com "testes e novidades".

Foi neste ponto que surgiu o nome de Cristiano Ronaldo. O selecionador nacional renovou recentemente contrato até 2024, altura em que Ronaldo completará 39 anos. Questionado se conta com o jogador da Juventus até ao final do contrato, Fernando Santos diz que tudo depende do jogador.

"Vai depender essencialmente dele, claro, de como ele possa sentir-se. Se formos a avaliar pelo rendimento e se ele se mantiver assim, seguramente. Mas, quando me refiro à forma como ele possa sentir-se, o que estou a procurar dizer é que não é apenas o plano físico, é também o mental", lembra.

Fernando Santos dá o exemplo de Ricardo Carvalho, que, durante o Euro 2016, teve de desacelerar o ritmo de jogo. O defesa acabou por ser preterido nos jogos a eliminar, e o selecionador nacional questiona se Ronaldo terá a mesma "capacidade" para ser suplente: "Será isso bom para ele? Para a equipa? Esse momento será de avaliação dele, de todos", argumenta.

Aos 39 anos, Cristiano Ronaldo pode já não dar o seu contributo à seleção nacional, mas Fernando Santos acredita que ainda jogará a alto nível.

"Eu acredito que o Cristiano, se nada acontecer de alarmante, aos 39 anos ainda estará a jogar a alto nível, talvez com uns ajustes a nível do treino. Falamos de atletas que não apenas atingem níveis de liderança mundial, mas que são agora capazes de manter esse nível por uma longevidade que talvez nunca tenha acontecido", declara.

"Futebol sem público não dá. Precisa do ambiente"

Os jogos em setembro da seleção nacional serão, muito provavelmente, à porta fechada. Para Fernando Santos, os estádios sem público não são uma novidade, enquanto treinador na Grécia já orientou jogos sem adeptos. Porém, o selecionador nacional admite que o futebol precisa de ambiente.

"No futebol, os intérpretes precisam de público em igual medida, como atores ou músicos. O futebol sem público não dá. Precisa do ambiente. Devemos continuar a insistir e a mantê-lo vivo. Muitas vezes ficamos indignados quando ouvimos umas bocas que chegam do público. Agora digo: ainda bem, porque assim como está é que não é nada", aponta.

A Liga Portuguesa de Futebol estima que os estádios fechados durante uma época correspondem a 126 milhões de euros de prejuízo. Fernando Santos é apologista, por isso, de que parte do público possa comprar bilhete para assistir aos jogos. A reabertura dos estádios "terá de acontecer. Caso contrário, o futebol não aguenta muito tempo", garante.

O selecionador nacional refere ainda que a mensagem do treinador não passa mais facilmente sem o som dos adeptos, uma vez que "as coisas estão preparadas antes do jogo, depois é mais difícil".

Fernando Santos deixa ainda uma palavra aos treinadores portugueses que considera "caracterizadores pela capacidade de mudar". "É uma especialidade. Vejo poucos treinadores estrangeiros a fazer mudanças estratégicas durante o jogo."

A seleção nacional volta à competição a 5 de setembro, frente à Croácia. Três dias depois, Cristiano Ronaldo e companhia deslocam-se à Suécia para o segundo jogo da fase de grupos da Liga das Nações.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de