Confusão à volta do sino deixa Fernando Pimenta em 3.º lugar em K1 5000

O atleta e a Federação Portuguesa de Canoagem apresentaram uma reclamação, mas a comissão de competição recusou o protesto.

O canoísta português Fernando Pimenta conquistou este domingo a medalha de bronze na prova de K1 5000 nos Europeus, que hoje terminaram em Poznan, na Polónia.

Depois da prata em K1 1.000, distância na qual competirá nos Jogos Olímpicos Tóquio2020, Pimenta cumpriu a prova em 20.45,277 minutos, a 872 milésimos de segundo do húngaro Balint Noe, que bateu o bielorrusso Aleh Yurenia por 532.

A competição ficou marcada por um erro dos juízes que não assinalaram a entrada para a última volta, pelo que, na passagem pela meta, os atletas procuravam ganhar posição para a zona da frente e interior da rodagem, não sprintando para o fim.

Um trio do quinteto continuou em prova, sendo seguidos por todos os restantes, porém o sprint final e cansaço extra, entre Pimenta e outro rival, acabaria por não contar.

Fernando Pimenta e a Federação Portuguesa de Canoagem apresentaram um protesto contra o terceiro lugar do atleta português. Pimenta ficou formalmente em terceiro, no resultado provisório, mas o árbitro não tocou a sineta para a última volta.

A explicação é avançada pelo presidente da federação, Vítor Félix. "A prova de 5000 metros é composta por uma volta grande e quatro pequenas e efetivamente houve um sprint quando terminou as quatro voltas pequenas, só que o árbitro de percurso esqueceu-se de tocar a sineta para a última volta", explica em declarações à TSF.

Nem Fernando Pimenta, nem qualquer outro atleta, aceleraram na última volta. Para a Federação, o português ganhou mais um título europeu.

"Os três primeiros todos eles foram iludidos pela falta da sineta. Aliás, o que acontece em várias modalidades, no atletismo e no ciclismo, há um juiz de percurso que toca uma sineta a avisar os atletas para a última volta, uma vez que acredito que os atletas em pleno esforço não terão aquele discernimento para contar as voltas e há sempre esse auxílio por parte do juiz que, neste caso, não veio a acontecer", afirma, acrescentando que "nomeadamente, o húngaro, o bielorrusso e o Fernando nem sequer sprintaram na quarta e última volta pequena".

A Federação Portuguesa de Canoagem reclamou, mas quem organiza os europeus recusou o protesto. Vítor Félix lamenta este episódio do sino que prejudicou Fernando Pimenta, um caso pouco habitual. "Este é um erro claramente de arbitragem e que julgamos todo o nosso direito em protestar, mas para nós este é o último momento de aferição para a nossa participação olímpica em Tóquio.

O presidente da Federação lembra que "este campeonato da Europa era para ser realizado na Alemanha, mas tendo em conta a situação da Covid, acabou por não realizar a competição e este campeonato da Europa em Poznan, na Polónia, foi mantado em cerca de um mês".

Esta foi a 104.ª medalha internacional do canoísta luso, que ajudou Portugal a concluir o Campeonato da Europa com quatro pódios.

O canoísta limiano do Benfica chega assim a Tóquio2020 sem falhar um pódio no atual ciclo olímpico, alargado a cinco anos devido à pandemia da Covid-19.

* Notícia atualizada às 14h53

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de