Cova da Piedade abandona direção da Liga e pede a demissão de Pedro Proença

Em comunicado, o clube que desceu ao Campeonato de Portugal por decisão da Liga de clubes, junta-se ao Benfica abandonando a direção. O diretor desportivo do clube critica ainda a conduta de Pedro Proença, e pede a saída do responsável.

O Cova da Piedade juntou-se esta segunda-feira ao Benfica na decisão de abandonar a direção da Liga de clubes de futebol e convida Pedro Proença a demitir-se da presidência do organismo.

Através de um comunicado, o clube da II Liga justifica a decisão com a conduta de Pedro Proença, dizendo não se rever nos seus atos "contrários aos princípios e funções que os membros da direção estão obrigados a respeitar".

O diretor desportivo do clube do conselho de Almada explica que o Cova da Piedade não poderia continuar a apoiar uma direção que diz, tem tomado decisões "ilegais". Entre as queixas do clube está a decisão da reunião de 5 de maio, que remete o clube piedense para o Campeonato de Portugal na próxima temporada (desde da 2ª liga).

"Entendemos que há um conjunto de erros, do presidente, validados pela reunião de direção", diz Edgar Rodrigues, dirigente do Cova da Piedade. "Ilegalidades praticadas em sede de reunião de direção", que fazem, diz o responsável, com que o clube deixe a direção da Liga.

"Nós não queremos fazer parte de um fórum destes", diz o responsável pelo futebol do Cova da Piedade.

Edgar Rodrigues recusa que esta decisão tenha algo que ver com o anuncio por parte do Benfica que também abandonou a direção da liga. "Cada um tem de pensar pela sua cabeça", diz sobre a posição do Benfica.

"Não estamos à procura de apoio de ninguém, mas, sim, de repor a verdade. Isso vai acontecer nos sítios próprios e, aí, as pessoas hão de ser responsabilizadas. Estamos à procura da verdade desportiva. Um clube que não termina o campeonato não pode descer de divisão", sustenta o responsável do Cova da Piedade.

"Próximo passo é ir até às últimas consequências jurídicas. Vamos com isto até ao fim", anuncia, reiterando que o clube vai avançar para os tribunais para contrariar a decisão de descida à 3º escalão do futebol português.

Pedro Proença visado

Para o Cova da Piedade, Pedro Proença deixou de ter condições para liderar a liga. Edgar Rodrigues fala de decisões tomadas sem parecer dos clubes. "O presidente da Liga fez muitas coisas à revelia", garante o diretor desportivo do clube de Almada.

"Convidamos o atual presidente a retirar as devidas ilações e a demitir-se de funções, uma vez que o atual momento do futebol e do nosso país exige que à frente desta direção esteja uma pessoa que trabalhe para a união dos clubes e a defesa dos seus interesses e não para fomentar a desunião em prol de uma qualquer agenda de interesses pessoais", lê-se num comunicado enviado às redações.

Os pidenses já tinham anunciado, na quinta-feira, a intenção de responsabilizar Pedro Proença a título pessoal pela descida ao Campeonato de Portugal, decidida na reunião de direção de 05 de maio, acusando o presidente da Liga de ter conduzido o encontro "de forma a condicionar o seu resultado", com recurso a expedientes "reprováveis e violadores da lei".

No momento da interrupção da II Liga e posterior decisão de cancelamento definitivo desse campeonato devido à pandemia de covid-19, o Cova da Piedade ocupava o penúltimo lugar, em zona de descida, a sete pontos do Vilafranquense, primeiro clube acima da 'linha de água'.

O clube do concelho de Almada fazia parte da direção do organismo juntamente com Benfica, Sporting, FC Porto, Tondela e Gil Vicente, da I Liga, além de Mafra e Leixões, do mesmo escalão, mas não teve voto na matéria por ser parte interessada na mesma.

A II Liga ficou de fora da autorização dada pelo plano de desconfinamento do Governo e da Direção-Geral da Saúde para a conclusão da I Liga e da Taça de Portugal de futebol.

O Cova da Piedade junta-se assim ao Benfica, que pediu, na sexta-feira, para deixar a direção da Liga durante uma reunião com todos os clubes do principal escalão profissional, na qual Pedro Proença pediu a marcação de uma Assembleia Geral para 09 de junho, para discutir a governação do organismo e apreciar o apoio anunciado para os clubes da II Liga.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de