"Decisão de isolar plantel cabe aos clubes." DGS responde a casos de Covid-19 no Benfica

Casos de Covid-19 nas equipas de futebol estão a gerar dúvidas aos clubes. DGS explica quando pode decidir o isolamento.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) esclarece que as autoridades de saúde locais apenas podem ditar o isolamento dos jogadores de futebol que testaram positivo à Covid-19 e daqueles que estiveram em contacto direto com estes. A decisão de isolar, ou não, o restante plantel cabe, por isso, aos clubes.

Depois de, nas últimas horas, o Benfica ter comunicado que tem 17 casos de Covid-19 - entre jogadores, equipa técnica e staff - e de se ter gerado uma polémica em torno do Sporting, que pretende jogar com dois futebolistas - Nuno Mendes e Sporar - que tiveram um teste positivo à Covid-19, a DGS veio, esta manhã, lançar um esclarecimento.

"A Autoridade de Saúde territorialmente competente, avaliadas as circunstâncias e o risco, decide sobre os jogadores que ficam isolamento, por motivo de doença, e sobre os jogadores que ficam em isolamento profilático, por serem considerados contactos de risco. A decisão quanto ao restante plantel é da responsabilidade dos clubes desportivos", lê-se na nota divulgada pela Direção-Geral da Saúde.

Para já, o Benfica cancelou a conferência de imprensa com o treinador Jorge Jesus, que estava marcada para esta tarde.

Numa nota enviada à TSF, o clube indica que "no seguimento do número de casos detetados nos últimos testes realizados no Benfica Campus, e com o intuito de restringir os contactos sociais no centro de estágio, o Benfica cancela a conferência de imprensa marcada para as 14h00".

No calendário do Benfica para os próximos 14 dias inclui-se a meia-final da Taça da Liga, frente ao Sporting de Braga, na quarta-feira, em Leiria, onde poderá ter de disputar a final da prova, no sábado, mas também os jogos em casa com Nacional (15.ª jornada da I Liga) e Belenenses SAD, para os quartos-de-final da Taça de Portugal, e a visita ao Sporting (16.ª jornada).

De acordo com o plano de retoma do futebol profissional, "os atletas e equipas técnicas da equipa na qual foi identificado um caso positivo podem ser considerados contactos de um caso confirmado". "No entanto, a identificação de um caso positivo não torna, por si só, obrigatório o isolamento coletivo, das equipas. A determinação de isolamento de contactos (de praticantes e outros intervenientes), a título individual, é de estrita competência da Autoridade de Saúde territorialmente competente", acrescenta o mesmo documento da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP).

Este plano, que vigora desde 7 de setembro de 2020, determina que todos os infetados, sintomáticos ou não, devem ser isolados, "ficando impossibilitados de participar em treinos e competições até à determinação de cura deliberada pela Autoridade de Saúde territorialmente competente".

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de