Diogo Jota sente "fascínio pelo golo" e diz que vontade "está no auge"

Jota mostrou-se "preparado" para começar o Europeu, apesar dos problemas físicos que teve no final da temporada, e mostrou-se "ansioso" por se estrear numa grande competição internacional por Portugal.

O avançado Diogo Jota disse sentir "fascínio pelo golo" e que espera continuar a utilizar a capacidade goleadora "em prol" da seleção portuguesa de futebol, cuja ambição de participar no Euro2020 "está no auge".

"O golo é uma coisa que me fascina e que procuro sempre em todos os jogos. Já marquei alguns na minha carreira e espero marcar mais. Espero continuar a utilizar esse aspeto em prol da seleção, porque seria muito bom para mim e para todos nós", afirmou Jota, em conferência de imprensa, no Estádio Illovszky Rudolf, em Budapeste.

Autor de 13 golos em 30 jogos na última época, a primeira ao serviço do Liverpool, o internacional luso manifestou-se "orgulhoso" com os elogios que recebeu pelo desempenho nos 'reds', embora salientando que "o mais importante é o trabalho diário" e o que os jogadores podem "fazer pelo clube e pelo país".

De resto, Jota mostrou-se "preparado" para começar o Europeu, apesar dos problemas físicos que teve no final da temporada, e mostrou-se "ansioso" por se estrear numa grande competição internacional por Portugal.

"Tinha o sonho de chegar à seleção principal e consegui. Esta é a primeira competição pela seleção AA que tenho. Estou ansioso por começá-la. A vontade do grupo está no auge e queremos começar este Europeu a vencer", disse, confessando que a "tarefa do mister [Fernando Santos] não é fácil", tendo em conta a "muita qualidade" de todos os jogadores a equipa das 'quinas'.

A estreia de Portugal está marcada para terça-feira, diante da Hungria, que, tal como todos os adversários, vai querer "derrotar os atuais detentores do título" no encontro do Grupo F.

"A Hungria vai estar motivada por jogar em casa, com o estádio lotado. Sabemos as dificuldades que isso acarreta, mas queremos entrar a ganhar. Têm uma equipa muito forte fisicamente, com jogadores muito altos e essa poderá ser a nossa maior dificuldade, mas não a única. É uma equipa muito aguerrida e temos de evitar ao máximo as bolas paradas", analisou.

Por outro lado, Diogo Jota assumiu "algum sobressalto" perante a situação do dinamarquês Christian Eriksen, que, no sábado, caiu inanimado no relvado e teve de ser socorrido durante o Dinamarca-Finlândia, do grupo B do Europeu.

"Vimos a situação com algum sobressalto. Não tive a oportunidade de compartilhar o balneário com ele, mas joguei contra ele. Ficámos felizes com as notícias de que ele estava a recuperar. Não podemos prever este tipo de situações. Felizmente, a resposta dos médicos foi rápida. Desejo-lhe rápidas melhoras e que recupere disto sem grandes mazelas", referiu.

Portugal, que é o detentor do troféu, integra o grupo F do Euro2020, juntamente com Hungria, Alemanha e França, tendo estreia marcada na competição para terça-feira, diante dos húngaros, em Budapeste, a partir das 17h00 (hora de Lisboa).

Seguem-se os encontros com os germânicos, a 19 de junho, em Munique, e com os franceses, a 23 de junho, novamente na capital magiar.

O Euro2020, que foi adiado para este ano devido à pandemia de Covid-19, decorre até 11 de julho, em 11 cidades de 11 países diferentes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de