Benfica na final da Taça de Portugal após empate em Famalicão

Pizzi inaugurou o marcador em Famalicão, Toni Martínez empatou. Patrick William viu um golo ser-lhe anulado. Veja os golos.

O Benfica garantiu, esta terça-feira, um lugar na final da Taça de Portugal depois de empatar a uma bola em Famalicão. O resultado da primeira mão, 3-2 a favor dos encarnados, permitiu que a equipa de Bruno Lage marque presença no Jamor.

Pizzi foi o autor do golo encarnado, Toni ​​​​​​​Martínez marcou o golo do Famalicão, que viu um outro tento - de Patrick William - ser anulado por fora de jogo.

Derrotado por 7-0 em casa no último fim de semana, num jogo em que poupou os titulares, o Famalicão entrou nesta segunda mão a todo o gás e com a equipa na máxima força. O Benfica, vindo de uma derrota no Dragão por 3-2, também quis sarar o orgulho ferido. Em cinco minutos, o jogo prometia uma réplica da primeira mão: ataque contra ataque.

O Famalicão pressionava alto desde cedo, com Diogo Gonçalves e Fábio Martins nos flancos e Toni Martínez a procurar incomodar Ruben Dias e Ferro. O Benfica ia resolvendo a situação com passes verticais, mas Racic ia patrulhando o meio-campo e dificultava o trabalho encarnado.

O sérvio ia sendo o bombeiro de serviço, mas a defesa do Famalicão ia acusando a pressão de estar a disputar uma meia-final e de querer sair a jogar a partir de um pontapé de baliza. Vinícius surge pela esquerda e cruza para o primeiro poste onde Cervi, com um toque de calcanhar, impede Vaná de recolher a bola e envia-a para a marca do penálti. Pizzi, de primeira, apontou e marcou.

Só à passagem dos 33 minutos é o Famalicão conseguiu reafirmar-se no jogo: Toni Martínez fugiu a Ferro e correu para o interior da grande área. No duelo com Vlachodimos não conseguiu enganar o guardião. Mais cinco minutos, mais do mesmo.

Desta vez foi Diogo Gonçalves quem serpenteou por entre Grimaldo e Ferro. Vlachodimos não se deixou distrair e, uma vez mais, defendeu para canto. Mas, à terceira, o Famalicão marcou mesmo.

Livre batido na esquerda, Vlachodimos sai mal da baliza e choca com um famalicense. A bola sobra para o vértice da grande área e Patrick William, de primeira, fez a bola sobrevoar o guarda-redes, atirando a contar. Seguiram-se protestos de Vlachodimos e do banco encarnado.

O VAR viu, reviu, voltou a ver e fez o estádio esperar, mas a decisão foi clara: golo anulado por fora de jogo de Gustavo Assunção. O jogo para o intervalo com o Benfica a vencer por 1-0.

Os famalicenses regressaram do intervalo com vontade de empatar o jogo. Em dois lances conseguiram obrigar Vlachodimos a voar por duas vezes e mostravam que estavam longe de dar a eliminatória como perdida.

Custava ao Benfica entrar nesta segunda parte. A jogar em casa, o Famalicão assumiu por completo as rédeas do jogo e entregava ao Benfica apenas a iniciativa de contra-atacar. Lage não gostava do que via e, para recuperar o fôlego da equipa, lançava Chiquinho para o lugar de Rafa. Mais cabeça, menos velocidade.

João Pedro Sousa, por seu lado, assumia ainda mais o jogo: tirava o defesa direito Ivo Pinto para lançar o avançado Walterson. O lado direito famalicense ficava entregue a Diogo Gonçalves. Fábio Martins tornava-se na maior ameaça do Famalicão na segunda parte, deambulando pelo ataque da equipa da casa.

Com 75 minutos jogados, João Pedro Sousa voltou a deixar uma mensagem: tirou o médio - e capitão - Pedro Gonçalves para lançar Schiappacasse, mais um avançado. O Benfica desaparecia cada vez mais do jogo, tanto que o que surgiu foi mesmo um golo do Famalicão.

Passe de rotura de Racic para a direita, onde surge Diogo Gonçalves a cruzar para a boca da baliza. Toni Martínez aguentou a defesa encarnada e empatou a partida ao minuto 77'.

As bancadas perceberam que aquele poderia ser o clique necessário para chegar ao Jamor e fizeram questão de demonstrar isso mesmo. O Famalicão colocava Lameiras em campo e preparava-se para dez minutos de pressão constante sobre o Benfica. Os encarnados recuaram ainda mais do que já tinham feito ao longo da segunda parte, numa tentativa definitiva de defender o resultado.

Vinícius ainda viu amarelo por demorar demasiado a sair do campo ao ser substituído por Seferovic. Jorge Sousa deu cinco minutos de tempo extra para que se pudesse jogar em Famalicão. Seferovic teve o 2-1 nos pés mas não o concretizou. No final, o 1-1 levou o Benfica ao Jamor.

Onze do Famalicão: Vaná, Ivo Pinto Riccieli, Patrick William, Coly, Gustavo Assunção, Uros Racic, Pedro Gonçalves, Diogo Gonçalves, Toni Martínez e Fábio Martins

Onze do Benfica: Odysseas, Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Florentino, Taarabt, Pizzi, Cervi, Rafa e Vinícius

O árbitro da partida é Jorge Sousa, auxiliado por Nuno Manso e Sérgio Jesus, com Fábio Melo na função de quarto árbitro. Vasco Santos é o VAR, enquanto Bruno Rodrigues é AVAR.

Suplentes do Famalicão: Defendi, Roderick, Guga, Ofori, Walterson, Schiappacasse, Lameiras

Suplentes do Benfica: Zlobin, Nuno Tavares, Samaris, Chiquinho, Jota, Seferovic e Dyego Sousa

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de