Vinícius mata-leão. Benfica vence Sporting e tira pódio aos leões

A uma semana da final da Taça de Portugal, o Benfica recebeu e venceu um Sporting que não conseguiu garantir o terceiro lugar do campeonato.

Escolher sofrer até ao final resulta por vezes, mas hoje não foi dia de valer a pena para o Sporting. Foi com um golo aos 87' que Vinícius fez o 2-1 para o Benfica que, aliado a uma vitória do SC Braga frente ao FC Porto, atirou os leões para o quarto lugar e lhes tirou um lugar na fase de grupos da Liga Europa na próxima época.

Antes, já Seferovic e Sporar tinham marcado num jogo que arrancou mal para os leões ainda antes de começar: o capitão Coates lesionou-se no aquecimento e teve de ser substituído por Luís Neto antes do início da partida.

Pelo Benfica, Nélson Veríssimo escolheu lançar Tomás Tavares como defesa direito, optando por jogar com André Almeida na esquerda, de "pé trocado", e com Plata pela frente. Em campo, foram os leões quem entrou melhor, sobretudo pela velocidade nas alas e com Sporar a ter a tarefa de "combater" os centrais encarnados.

A resposta à entrada leonina surgiu por Pizzi que, aos dez minutos, surgiu pela direita e obrigou Maximiano a defender com os pés para evitar o primeiro da partida. Dois minutos depois, o Benfica voltava a ameaçar por Chiquinho depois de ter obrigado o Sporting a errar através de uma pressão muito alta sobre a saída curta verde e branca.

Voltemos a Pizzi. O médio português tinha visto, antes desta partida, o iraniano Taremi, do Rio Ave, chegar aos 18 golos no campeonato, igualando-o como melhor marcador e procurava, por isso, marcar. Fez por isso, de novo, pouco antes do quarto de hora de jogo quando tentou, de pé esquerdo, fazer golo de fora da grande área. Pouco depois errava e oferecia uma oportunidade de golo ao Sporting que Sporar não conseguiu converter.

Foi aos 27 minutos que o Benfica sorriu. Rúben Dias amorteceu a bola de cabeça depois de um canto marcado a partir da direita e Seferovic, também com um cabeceamento, e em mergulho, atirou a contar para o fundo da baliza de Maximiano. Agora com cabelo platinado, o suíço chegou aos cinco golos na Primeira Liga.

Dez minutos depois, e sem conseguir responder verdadeiramente ao golo encarnado, o Sporting voltava a tremer. Desta vez, e também depois de um pontapé de canto, foi Rúben Dias quem cabeceou, mas a bola encontrou o poste pelo caminho.

Daí ao intervalo o Sporting conseguiu voltar a sair a jogar, ainda que em contra-ataque, mas faltava acutilância para chegar com perigo à baliza de Vlachodimos. O Benfica pressionava muito alto e obrigava Rúben Amorim a ter de pensar em algo novo durante o intervalo.

A primeira novidade foi Tiago Tomás, que entrou para o lugar de Plata ao intervalo. Certo é que, logo nos primeiros segundos da segunda parte, o Benfica obrigou Maximiano a aplicar-se para impedir que a bola voltasse a entrar depois de Jardel ter surgido sozinho ao segundo poste.

A resposta do Sporting chegou pelos pés de um dos jovens que esta noite se estreou em dérbis: foi Nuno Mendes quem se encheu de fé e subiu pela esquerda, passou por André Almeida e, chegado à baliza, viu Vlachodimos negar-lhe o golo. Pouco depois o Braga marcava frente ao FC Porto e ficava a dois pontos do Sporting.

O Benfica não tirava o pé do acelerador. Numa saída rápida com direito a tabelinha, Seferovic correu até à entrada da grande área e atirou cruzado de pé direito para fazer a bola passar muito perto do poste de Maximiano.

O calafrio coletivo encarnado regressou aos 64 minutos quando Tiago Tomás, depois de um falhanço de toda a defesa do Benfica, atirou ao poste. Na resposta, Veríssimo lançou Florentino e Vinícius. Mas foi apenas o adiamento do empate.

Aos 68 minutos o Sporting sai em contra-ataque pelo corredor central e, em três passes, isola Sporar que só teve de finalizar a jogada após assistência de Tiago Tomás.

Rafa saltava do banco para servir como resposta encarnada e, no minuto seguinte, arrancava o amarelo a Wendel. Rúben Amorim escolheu mexer no corredor esquerdo: Nuno Mendes e Jovane deram lugar a Borja e Vietto.

Os leões escolheram sofrer até ao final . Aos 87', Vinícius surge no coração da grande área e atira mesmo a contar para o fundo da baliza de Maximiano. O golo, inicialmente anulado, acaba por ser validado e coloca o Sporting no quarto lugar, uma vez que por esta altura o SC Braga vencia o FC Porto no Minho.

Até ao final do jogo nada se alterou em Lisboa ou em Braga e, contas feitas, o Sporting acaba o campeonato no quarto lugar, atrás de Braga, Benfica e FC Porto.

Onze do Benfica: Vlachodimos, André Almeida, Rúben Dias, Jardel, Tomás Tavares, Weigl, Gabriel, Pizzi, Cervi, Chiquinho e Seferovic

Onze do Sporting: Maximiano, Ristovski, Quaresma, Neto, Acuña, Nuno Mendes, Matheus, Wendel, Jovane, Plata e Sporar

Suplentes do Benfica: Zlobin, Zivkovic, Dyego Sousa, Rafa, Florentino, Jota, João Ferreira, Carlos Vinícius e Ferro.

Suplentes do Sporting: Renan, Rafael Camacho, Luciano Vietto, Rodrigo Battaglia, Francisco Geraldes, Cristián Borja, Tomás e Doumbia. Coates fazia parte do onze inicial mas lesionou-se no aquecimento e foi substituído por Luís Neto.

O árbitro da partida foi Fábio Veríssimo, com Rui Costa no VAR.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de