Golaço de Alex Telles mantém FC Porto na perseguição ao Benfica

Sob uma chuva leve, tipicamente portuense, e com 3 habituais titulares de fora por motivos disciplinar e Pepe lesionado, Marega voltou ao onze, mas foi Alex Telles que resolveu a partida em que o FC Porto venceu o Boavista e se manteve na corrida pela liderança.

Marchesin, Luiz Diaz, Uribe e Saravia ficaram fora da convocatória depois de uma noitada na ressaca da derrota em Glasgow frente ao Rangers em jogo da Liga Europa. Já esperada era a ausência de Pepe que se lesionou na partida na Escócia e também ficou fora do dérbi que fechou a jornada 11 da I Liga.

O segundo dérbi da noite começou com grande intensidade, mas foi Alex Telles que à bomba inaugurou o marcador. Um remate cruzado de fora da área levou a bola a entrar ao segundo poste sem qualquer possibilidade de defesa para o guarda-redes axadrezado. Estavam decorridos nove minutos de jogo.

O jogo prometia ser tranquilo para o FC Porto e à passagem dos 15 minutos, Mbemba cruzou para a área, mas o jovem Fábio Silva falhou o remate. Pouco antes Manafá cruzou atrasado, mas Fábio Silva acertou mal na bola e falhou o que podia ser o 2-0.

Mais um ataque azul, mais um lance perigoso para a baliza do Boavista. Marcano cabeceou entre os centrais. Tudo começou num lançamento da linha lateral, com um atraso para Danilo, que colocou a bola na área, onde encontrou o central, mas a bola saiu saiu junto ao poste.

O Boavista parecia crescer no jogo e aproximava-se da baliza portista, mas sem criar perigo. Aos 25 minutos, os axadrezados ainda não tinham feito qualquer remate à baliza de Diogo Costa.

Aos 26 minutos de jogo, grande oportunidade para o Boavista. Ricardo Costa falhou o golo do empate por muito pouco. O capitão axadrezado chegou atrasado para finalizar, ao segundo poste, um pontapé de canto batido na direita boavisteira.

Um cruzamento rasteiro do Boavista, o corte de Mbemba quase surpreendia o guarda-redes portista, mas Diogo Costa segura. Aos 31 minutos primeira oportunidade para Marega, com o maliano a atirar contra Ricardo Costa.

A 1.ª parte terminava sem grandes ocasiões de perigo, mas apesar de tudo, o FC Porto foi mais dominador durante os primeiros 45 minutos.

Os treinadores não mexeram ao intervalo e voltaram os mesmos 22 jogadores para a 2.ª parte. Mais uma vez, o FC Porto entrou melhor. Fábio Silva dispôs de mais uma oportunidade. Marega lançou o jovem avançado portista, que correu até à área onde a presença de Dulanto o precipitou para um remate muito longe do alvo.

Aos 50 minutos, passe de Corona para Marega, Bracali saiu da baliza e segurou. O Boavista ia bombeando bolas para a área na esperança de aproveitar o jogo aéreo, mas sem eficácia. Rafael Costa marcou um livre, Ricardo Costa cabeceou, mas para fora.

Na sequência de um canto batido por Corona, Marega desvia na área de golo, mas Bracali respondeu com uma enorme defesa. Alex Telles mostrava sinais de dificuldades físicas, mas é Fábio Silva quem sai sob uma das maiores ovações da noite. Entra Zé Luís. Segunda alteração para o FC Porto: Manafá deu lugar a Nakajima. O jogo está duro. Corona cai em disputa com Paulinho. O árbitro manda seguir. No lance seguinte é Paulinho quem fica no chão, depois de se cruzar com Corona. O árbitro avisa ambos de que arriscam ir mais cedo para o balneário.

Em cima do minuto 90, Zé Luís rematou ao poste, depois de tirar do caminho dois defesas. A história do jogo ficava por aqui.

O FC Porto continua a dois ponto do Benfica e na próxima jornada irá defrontar o Paços de Ferreira, mas isso é só para dezembro.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados