Rúben Dias desbloqueou, Pizzi fixou. Benfica vence Rio Ave na Luz

Os encarnados estão em vantagem desde os 32 minutos. Rúben Dias abriu o marcador e Pizzi aumentou a vantagem. Ouça o relato TSF e veja os golos.

O Benfica venceu esta noite o Rio Ave na Luz (2-0), com golos de Rúben Dias e de Pizzi. O resultado permite aos encarnados reforçarem a liderança e colocam pressão sobre o FC Porto, que está agora a cinco pontos dos campeões nacionais.

Tarde de sábado, com nuvens cinzentas no céu, mas uma "chama imensa" nas bancadas da Luz, para assistir ao encontro entre Benfica e Rio Ave. Em jogo, estava a liderança, ainda mais isolada, mas a partida marcava momentos especiais para um dos protagonistas.

Antes do apito inicial, abraço entre Bruno Lage e o seu irmão, Luís Nascimento, que é adjunto de Carvalhal no emblema de Vila do Conde. Depois dos cumprimentos, a bola começou a rolar. Os campeões nacionais e líderes há três dias, depois da goleada frente ao Portimonense, entraram em campo com três alterações no onze inicial: entraram Pizzi, Florentino e Ferro regressou ao centro da defesa.

O primeiro lance de algum perigo para os encarnados surgiu aos 6 minutos, por intermédio de Gabrielzinho. O brasileiro surgiu na cara de Vlachodimos, que se esticou para tirar a bola dos pés do avançado vila-condense.

O Benfica respondeu. Cervi fugiu à marcação e aproveitou o espaço para rematar e obrigar Kieszek a desviar para canto. O jogo estava com um ritmo intenso nos minutos iniciais e Tarantini, um dos jogadores chave na estratégia de Carvalhal, surgiu em posição frontal a rematar por cima da baliza de Vlachodimos. Faltou eficácia e colocação ao capitão da equipa forasteira.

O jogo estava equilibrado, com muita bola dividida a meio campo. Gabrielzinho, na zona central, era um perigo assumido para a defensiva encarnada. Depois, os encarnados reagiram e chegaram-se à frente. Num primeiro lance, Cervi pediu mão, mas o árbitro não concordou, mostrando o cartão amarelo ao argentino.

Logo a seguir, na sequência de um canto, André Almeida parece ser empurrado na área, mas a equipa de arbitragem não entendeu motivo para grande penalidade. Carlos Xistra ainda ouviu indicações do videoárbitro.

Num novo canto do lado direito, Pizzi levantou para a área e Rúben Dias acendeu a Luz. Entrada de rompante do central português para abrir o marcador na Luz.

A cinco minutos do descanso, o jogo continuava eletrizante na Luz. Carlos Vinícius demonstrou a sua técnica, ao fintar dois adversários. O brasileiro ganhou espaço e rematou por cima do travessão da baliza de Kieszek. Gritou-se golo na Luz.

A bola não parava e o Rio Ave intrometeu-se no ataque. Nuno Santos desmarcou-se para esquerda, passou por André Almeida e rematou à base do poste de Vlachodimos. Esteve a milímetros do empate.

A segunda parte, Carlos Carvalhal fez uma alteração na equipa. O técnico da equipa de Vila do Conde tirou Taremi e colocou Renan em campo. O Rio Ave parecia mais nervoso. Na defesa, somavam-se erros e outras hesitações.

E o Benfica, aos 50 minutos, aumentou a vantagem, agravando o resultado para os forasteiros. Pizzi trocou as voltas à defensiva vila-condense e bateu com classe Kieszek. Com vantagem confortável, o Benfica não desarmava e carregava no acelerador.

Na sequência de um livre indireto, a bola foi cruzada da esquerda por Grimaldo e foi ao encontro da biqueira da bota de Rúben Dias, que esteve muito perto de bisar no jogo.

Em contraste com o que se sucedeu na primeira parte, a intensidade foi menor no segundo tempo. Logo após o segundo golo encarnado, notou-se a ausência de frescura física na equipa de Carlos Carvalhal, que já tinha lançado também no jogo o extremo Carlos Mané.

O Rio Ave estava sem chama e o Benfica geria a vantagem, colocando enorme pressão sobre a saída de bola dos vilacondenses. Os encarnados estavam à procura do golo da tranquilidade.

Carlos Vinícus era uma autêntica dor de cabeça para os defesas do Rio Ave. O brasileiro fartou-se de desiquilibrar e, num desses lances, serviu Cervi, que obrigou Kieszek a evitar o terceiro na Luz.

Até ao apito final, o placar não sofreu alterações. Com este resultado, o Benfica reforça a liderança na Liga, somando agora 27 pontos, mais cinco minutos que o rival FC Porto e Famalicão.

Onze do Benfica: Vlachodimos; Almeida, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo; Pizzi, Florentino, Gabriel, Cervi; Chiquinho e Vinícius.

Onze do Rio Ave: Kieszek; Monte, Borekovic, Aderlan, Matheus Reis; Nuno Santos, Tarantino, Filipe Augusto, Jambor, Gabrielzinho; Taremi.