FC Porto vence mas não convence. Dragões ouviram assobios

Ivan Marcano apontou o primeiro golo do jogo aos 12 minutos. Ouça o relato TSF e veja o golo.

Sem Marega, que ainda recupera de lesão, o FC Porto entrou em campo apenas com uma alteração em relação ao último jogo (1-1, frente ao Marítimo): Sérgio Conceição deixou Uribe no banco e promoveu a entrada do jovem Bruno Costa no onze inicial para a receção frente ao Desportivo das Aves, o lanterna vermelha do campeonato.

Cedo se percebeu a diferença entre as equipas. Os dragões instalaram-se no meio campo forasteiro e o golo surgiu com naturalidade. Eis um central que, à ponta de lança, fez o primeiro golo do jogo. Ivan Marcano subiu à área para desferir um remate de primeira e abrir a contagem no Dragão.

Mais tarde, aos 24 minutos, pediu-se grande penalidade. Bruno Costa cai na área por alegada falta de Afonso Figueiredo. O lance foi revisto pelo videoárbitro e o árbitro Hélder Malheiro mudou a decisão, entendendo que o jogador portista caiu sozinho.

Até ao intervalo, o FC Porto abrandou o ritmo do jogo e a qualidade da exibição, permitindo o Aves respirar e subir no terreno. Após várias perdas de bola e passes sem nexo, ouviram-se assobios das bancadas para a equipa portista.

Na segunda parte, o FC Porto não melhorou, e foi somando vários erros, numa exibição muito pobre. Sérgio Conceição lançou Zé Luís e Alex Telles para os lugares de Mbemba e o Luís Díaz. O colombiano esteve apagado nesta noite fria no Dragão.

Aos 63 minutos, Danilo captou a bola no meio campo e lançou-se no contra ataque. O médio internacional português viu a desmarcação de Manafá, que só foi travado dentro da área do Aves, perdendo a oportunidade para aumentar a vantagem no marcador.

No lance seguinte, Pepe obrigou Aflalo a esticar-se. A bola ainda "beijou" a barra dos visitantes. ​​​​​

O Aves foi tentando a sua sorte e pregando alguns sustos a um dragão que não convencia. Os homens de Sérgio Conceição esperavam pelo aparecimento do golo da tranquilidade, mas a equipa avense estava a impedir a progressão portista.

Onze do FC Porto Marchesín; Mbemba, Pepe, Marcano e Manafá; Otávio, Danilo, Bruno Costa e Luis Diáz; Corona e Soares.

Onze do Aves: Aflalo; Mato Milos, Adi Mehrenic, Falcao e Afonso Figueiredo; Estrela, Luís Fernando, Rúben Oliveira e Welinton; Kevin Yamga e Mohammadi.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados