C'est la vie, Anthony. Erro do guarda-redes do Lyon dá vitória ao Benfica

Veja os golos. O SL Benfica recebeu o Lyon na terceira jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões e somou os primeiros pontos nesta edição.

Um jogo que parecia estar condenado ao empate mudou quando Anthony Lopes, guarda-redes do Lyon, não viu o que Pizzi foi capaz de adivinhar. O médio português aproveitou um erro para dar os primeiros pontos e a primeira vitória ao Benfica nesta edição da Champions, com um 2-1. Mas, até lá, a Luz sofreu.

Rafa é rápido. Ou veloz. E até para marcar o foi. Confusão à entrada da grande área francesa depois de uma boa jogada pela esquerda, com a bola a sobrar para o extremo português. Recebeu, rodou e atirou a contar. Quatro minutos, 1-0.

Parecia começar bem a noite europeia para o Benfica, que vinha de duas derrotas: primeiro com o Leipzig, depois com o Zenit.

Não começou bem foi para Rafa. Apesar do golo, o português torceu o pé minutos depois e ainda viu o árbitro eslovaco da partida cair-lhe em cima. Dez minutos depois do golo, acabava o jogo para o português, que saiu do campo. Voltou, esteve lá mais cinco minutos e saiu de vez, aos 20'.

Entrou para o seu lugar Pizzi: a visita ao banco na Champions durou apenas 15 minutos. Desengane-se quem pensa que o Lyon ficou a rir-se: momentos depois, também Cornet se queixava. O burquinês Traoré intensificou o aquecimento, mas não foi necessário.

A primeira parte acalmou depois dos primeiros 20 minutos, até porque o Benfica deixou que o Lyon se instalasse: os franceses chegavam à baliza e falhavam na hora da decisão e as águias tinham dificuldades em sair a jogar.

Quando conseguiam, Seferovic não respondia à altura: primeiro, descaído para a esquerda, não conseguiu finalizar. Aos 37 minutos, servindo de bandeja por Tomás Tavares, rematou por cima da baliza. A verdade é que se pedia ao suíço que corresse como Rafa faria se ainda estivesse em campo, algo que não lhe assenta.

A oportunidade de golo seguinte - que nasceu de um escorregão de Terrier - pertenceu a Gedson: o médio benfiquista apareceu na cara de Anthony Lopes, mas foi o guardião quem venceu o duelo luso. O relvado da Luz ia levantando dúvidas: já era a terceira lesão em apenas 45 minutos.

Ao intervalo, valia o golo de Rafa, uma vez que o Benfica não parecia estar em condições de aproveitar as oportunidades que criava. A segunda parte começou na mesma toada: Lyon a atacar, Benfica a não conseguir sair a jogar. E quando não falhavam os franceses, estava lá Rúben Dias:

E depois dos desperdícios, saía Seferovic, que dava o lugar a Carlos Vinícius. Jogo ingrato para o suíço. E para os franceses.

Cornet tentou um remate cruzado que desviou em Ferro e foi bater... no ferro. A bola sobrevoou toda a grande área e foi a trave que salvou o Benfica, com Vlachodimos completamente batido.

A sorte parecia estar do lado encarnado, mas o fim estava próximo. Dubois cruzou a partir da direita, cruzou para o segundo poste e Depay, sozinho, só teve de aparecer para atirar a contar. Empate aos 70'.

Os franceses chegavam ao golo que, por falta de sorte ou de engenho, ainda não tinham conseguido marcar. Lage respondia: saía Cervi, entrava De Tomas. A Luz começou a assobiar: primeiro pela substituição, depois porque um canto a favor do Benfica acabou com a bola nos pés de Tomás Tavares... que estava dentro do próprio meio-campo.

Foi sol de pouca dura. Aos 84', Pizzi recebeu do meio da rua e foi daí mesmo que encheu o pé para atirar à baliza. A Luz ficou em suspenso enquanto a bola voava em direção... ao poste.

Não foi feliz nesse minuto, foi feliz no seguinte: Anthony Lopes saiu da baliza e, com um erro monumental, colocou a bola nos pés de Pizzi. De primeira, o português não se fez rogado: rematou a bola e ela só parou no fundo das redes. C'est la vie, Anthony.

Com este resultado, o Benfica soma os primeiros pontos nesta edição da Champions. As águias estão no último lugar do grupo G, com duas derrotas e uma vitória, a um ponto do Zenit, que perdeu esta noite em Leipzig, e do Lyon. O Leipzig lidera com seis pontos.

Onze do Benfica: Vlachodimos, Tomás Tavares, Rúben Dias, Ferro, Grimaldo, Florentino, Gabriel, Gedson, Rafa, Cervi e Seferovic

Onze do Lyon: Anthony Lopes, Dubois, Marcelo, Denayer, Koné, Terrier, Tousart, Aouar, Cornet, Dembélé e Depay

Ivan Kružliak, da Eslováquia, foi o árbitro da partida, e teve como assistentes os compatriotas Tomaš Somolani e Branislav Hancko. Peter Kralović foi o 4.º árbitro. Como videoárbitro (VAR) esteve o polaco Pawel Gil, assistido por Paweł Raczkowski.

Suplentes do Benfica: Zlobin, De Tomas, Pizzi, Jardel, André Almeida, Taarabt e Carlos Vinícius

Suplentes do Lyon: Tatarusanu, Andersen, Rafael, Traoré, Mendes, Reine-Adelaïde e Tete

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados