Sporting sofre, mas segura três pontos em Paços de Ferreira

O Sporting inaugurou o marcador por intermédio de Luiz Phellype. Tanque empatou e Bruno Fernandes restabeleceu a vantagem leonina de grande penalidade. Ouça o relato TSF e vejas os golos.

O Sporting venceu esta noite o Paços de Ferreira (1-2) e somou a terceira vitória consecutiva. Numa primeira parte em que rubricou uma boa exibição, os leões chegaram à vantagem aos 11 minutos. Luiz Phellype adiantou a equipa de Silas, que foi para o intervalo em vantagem. Na segunda parte, os leões desconcentraram-se e o Paços aproveitou: Douglas Tanque empatou aos 73 minutos, mas logo a seguir o Sporting conquistou uma grande penalidade, convertida por Bruno Fernandes.

Os leões entraram em campo na Mata Real com duas alterações face ao último jogo: Ristovsky entrou para o lugar de Rosier e Luiz Phellype, no regresso a uma casa que bem conhece, sentou Bolasie no banco de suplentes. Do lado do Paços, destaque para uma noite em que a equipa quis homenagear as vítimas do cancro da mama. Os jogadores entraram em campo com as meias cor-de-rosa.

O encontro começou com o Sporting a instalar-se no meio campo dos castores. A primeira oportunidade surgiu logo aos dois minutos. Perda de bola junto à área pacense. Bruno Fernandes combinou com Jesé. O espanhol rematou para, mas Ricardo Ribeiro sacudiu para a frente, colocando a bola nos pés de Luiz Phellype. O brasileiro, bem colocado, rematou à figura do guardião, que se redimiu.

O brasileiro estava inspirado e o Sporting abriu o marcador. Lance pela esquerda, com Bruno Fernandes a levantar a cabeça e a descobrir a ponta de lança no centro da área. Luiz Phellype fugiu à marcação e atirou para o fundo da baliza pacense.

Num terreno húmido devido à chuva que começou a cair no início do jogo, o Sporting pressionava o adversário, com muita troca de bola. Jesé entendia-se com Bruno Fernandes e o espanhol deixava alguns bons pormenores no jogo, mostrando a sua técnica no relvado.

O Sporting, que estava a rubricar uma boa exibição, não deixava o Paços respirar. A equipa de Silas apresentou organização defensiva e no meio campo pressionava muito o adversário, conseguindo chegar várias vezes com perigo junto à área dos castores.

A segunda parte começou com o Paços à procura do empate. E a equipa de Pepa esteve muito perto de chegar a esse objetivo. Bruno Santos trocou as voltas à defensiva leonina e surgiu na cara de Renan. O guardião brasileiro esticou-se e evitou a festa pacense.

A ameaça pacense coincidiu com o pior momento do Sporting no jogo. O meio campo leonino, composto por Doumbia e Eduardo, não conseguia segurar a bola e o Paços aproveitava.

Aos 73 minutos, na sequência de um canto, Douglas Tanque saltou mais alto, perante a passividade leonina, e fez o empate.

A vantagem não durou muito tempo. Na conversão de um livre indireto, Luiz Carlos levantou o braço e tocou na bola. O árbitro apontou para a marca da grande penalidade. Bruno Fernandes, ao seu estilo, restabeleceu a vantagem leonina no jogo.

Esta era uma noite de muito trabalho para a equipa de arbitragem - o juiz Rui Costa mostrou 11 cartões amarelos no decorrer da partida. Antes do apito final, Renan ainda teve muito trabalho pela frente, com um par de defesas importantes, que seguraram o triunfo leonino.

Onze do Paços de Ferreira: Ricardo Ribeiro; Bruno Santos, André Micael, Bruno Teles e Oleg; Diaby, Luiz Carlos e Pedrinho; Murilo, Welthon e Hélder Ferreira.

Onze do Sporting: Renan; Ristovski, Coates, Mathieu e Acuña; Doumbia e Eduardo; Bruno Fernandes, Vietto e Jesé; Luiz Phellype.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados