Um golo Kent, uma saída a frio. Braga perde e está fora da Liga Europa

Veja o golo - o único do jogo - marcado por Ryan Kent.

O Braga está fora da Liga Europa depois de ter sido derrotado, esta quarta-feira, por 1-0 frente ao Rangers. O britânico Ryan Kent marcou o único golo da partida numa jogada que acaba por resumir todo o jogo: linhas muito altas dos bracarenses e frieza dos escoceses para aproveitar o espaço nas costas dos três centrais.

Depois da derrota por 3-2 na Escócia, a equipa de Rúben Amorim não conseguiu levar a melhor sobre o Rangers, que segue para os oitavos de final da prova.

Foi sem medo que os bracarenses entraram na partida. Com dois golos marcados fora de portas, a equipa portuguesa optou pelo ataque desde o primeiro minuto, esticando ao máximo os escoceses: ora Esgaio, ora Sequeira iam subindo pelos flancos.

Goldson tornava-se no pronto socorro do Rangers e o objetivo era claro: afastar a bola da baliza de McGregor. Foram dez minutos de sufoco bracarense até que o Rangers conseguisse encontrar o caminho para a baliza de Matheus.

Arfield furou pelo corredor central e criou uma situação de dois para um que só não acabou em golo porque Matheus respondeu bem ao remate de Kamberi. Esquecido o susto, os bracarenses voltaram a assumir o jogo.

Poucos poderiam acusar o Braga de falta de vontade, mas era o Rangers quem criava real perigo. Uma perda de bola de Raul Silva na esquerda da defesa deixou a bola nos pés de Hagi, que descobriu Ryan Kent no interior da grande área. O britânico acabou por falhar a baliza, mas deixou uma vez mais o aviso: o que conta são os remates.

Com o bloco defensivo muito alto, o Braga expunha-se a contra-ataques escoceses. A equipa comandada por Gerrard apostava nos erros bracarenses para criar perigo e, não fosse a falta de eficácia, o Braga estaria em maus lençóis ainda antes dos 30 minutos de jogo.

A primeira oportunidade realmente perigosa criada pelo Braga só chegou aos 25 minutos, quando Paulinho cabeceou no interior da grande área para uma defesa vistosa de McGregor.

Rúben Amorim optou por fazer recuar a sua linha defensiva, eliminando algum do espaço livre nas costas e devolvendo algum controlo à sua equipa.

Já o Rangers aproveitou também para subir no terreno, neutralizando alguma da pressão que os bracarenses iam organizando. Criava-se também espaço nas costas da defesa escocesa, que Horta e Trincão pareciam agradecer.

Depois de uma primeira parte de falta de eficácia, o Rangers teve a oportunidade de ouro: Raul Silva atrapalha-se com a bola depois de um pontapé de canto dos escoceses e a bola acaba por tocar-lhe no braço.

Hagi assumiu, Matheus respondeu. A bola não entrou e o intervalo chegou mesmo com um 0-0 no marcador. O guardião brasileiro defendeu a quarta grande penalidade da época.

No lançamento da segunda parte, Rúben Amorim optou por lançar João Novais para o lugar de Palhinha.

Cinco minutos depois, Amorim mostrava ao que vinha na segunda parte: Raúl Silva saiu, Galeno rendeu-o e Sequeira passou a jogar como central. Mas como quem não marca, sofre, o Rangers colheu os frutos do trabalho que fez durante o jogo.

Kent desmarca-se nas costas dos centrais - que estavam em cima da linha do meio-campo - e Hagi descobriu-o. O britânico correu, isolado, em direção à baliza. Matheus saiu, fez a mancha, mas de pouco valeu: o Rangers marcou mesmo.

A perder em casa, o Braga apostava tudo no ataque: saía David Carmo, entrava Ruiz. A primeira grande resposta ao golo surgiu pela cabeça de Paulinho que, no interior da pequena área, cabeceou ao poste esquerdo de McGregor.

Corria o minuto 75 quando o Rangers voltou a introduzir a bola na baliza de Matheus. Goldson salta mais alto do que toda a gente num pontapé de canto e obriga Matheus a voar para impedir o golo. A bola acabou por ressaltar para os pés de Arfield que atira a contar, mas tinha partido de posição de fora de jogo. Bandeirola no ar e o VAR a confirmar que o golo não contava.

Não foi por falta de vontade que o Braga não marcou, mas a verdade é que nunca conseguiu aquecer suficientemente o jogo. Os bracarenses estão fora da Liga Europa.

Onze do SC Braga: Matheus, Sequeira, Raúl Silva, David Carmo, Bruno Viana, Esgaio, Trincão, Palhinha, Fransérgio, Ricardo Horta e Paulinho

Onze do Rangers: McGregor, Tavernier, Edmunson, Goldson, Barisic, Arfield, Jack, S. Davis, Kent, Hagi e Kamberi

Suplentes do SC Braga: Tiago Sá, Tormena, André Horta, João Novais, Galeno, Rui Fonte e Abel Ruíz

Suplentes do Rangers: Foderingham, Ojo, Halliday, Aribo, Kamara, Katic e Stewart

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de