Empate arrancado a ferros do Benfica na Covilhã

As duas equipas não se defrontavam desde 2014, quando o Benfica foi à Covilhã vencer por 3-2.

O Benfica, líder da I Liga de futebol, procura somar esta terça-feira a primeira vitória no Grupo B da terceira fase da Taça da Liga, visitando o Sporting da Covilhã, do segundo escalão. Os encarnados, recordistas de triunfos na prova, com sete, empataram em casa com o Vitória de Guimarães (0-0), na primeira jornada, enquanto o Sporting da Covilhã, quinto classificado da II Liga, cedeu uma igualdade a um golo com o Vitória de Setúbal.

As duas equipas não se defrontam desde 2014, quando o Benfica foi à Covilhã vencer por 3-2, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal. Em 20 jogos na cidade beirã, o Benfica venceu 11 vezes, empatou seis e perdeu apenas três, a última das quais em 1962, em jogo do campeonato.

Aos 4 minutos houve a primeira grande oportunidade do jogo, para o Sporting da Covilhã. Na sequência de um mau atraso para o guarda-redes Zoblin, Adriano Castanheira ganhou a bola e conseguiu fazer um disparo cruzado. O guardião da defesa encarnada defendeu a custo.

Seis minutos depois deste lance foi mostrado o primeiro cartão amarelo do jogo a Gilberto. O Benfica reagiu e, na sequência de um livre, Gedson cabeceou à barra da baliza do Sporting da Covilhã.

O árbitro Rui Oliveira aconselhou calma a Samaris depois de uma falta sobre um adversário, que fica caído no relvado. Na sequência desta falta surgiu um contra-ataque da equipa da Covilhã. A passe de Adriano, Mica disparou à entrada da área. A bola ainda desviou num defesa do Benfica, mas Zlobin conseguiu agarrar.

Aos 22 minutos, o Benfica reclamou grande penalidade depois de um lance entre o guarda-redes Bruno e Raul de Tomas. O árbitro nada assinalou. Sete minutos depois surgiu uma grande oportunidade para o Benfica. Raul de Tomas recebeu a bola, virou-se e rematou já dentro da grande área do Sporting da Covilhã, mas Bruno defendeu.

Aos 39 minutos, uma bomba de Adriano Castanheira de fora da área passou rente à barra da baliza do Benfica.

A segunda parte começou com um balde de água fria para o Benfica. As águias sofreram um golo logo nos primeiros segundos, com um tiro certeiro de Bonani. O jogador ganhou um par de ressaltos, invadiu a área e atirou colocado, sem hipóteses para Zlobin.

Aos 57 minutos a partida foi interrompida. Zarabi ficou caído no relvado por ter deslocado o ombro. Do lado das águias, Pizzi e Taarabt preparam-se para entrar. Carlos Vinícius viu o cartão amarelo depois de dar uma cotovelada a Jaime.

Taarabt e Pizzi levaram velocidade ao futebol das águias, que estão a recuperar o domínio do jogo. Carlos Vinícius, que entrou ao intervalo para o lugar de Florentino, fez o primeiro aviso da partida aos 66 minutos, com um remate de cabeça à baliza do Sporting da Covilhã.

Em resposta, numa diagonal da esquerda para o centro, Adriano Castanheira rematou à entrada da área, mas Zlobin segurou. Aos 80 minutos houve mais uma grande oportunidade para o Sporting da Covilhã. Após um centro da direita, Adriano Castanheira fintou Nuno Tavares e rematou, muito perto do alvo.

Aos 82 minutos surgiu o golo de empate do Benfica, com a assinatura do jovem Jota, que se estreou a marcar com um disparo à entrada da área. Dois minutos depois, Pizzi esteve perto de marcar o segundo para as águias.

Onze do Sporting da Covilhã: Bruno; Gilberto, Zarabi, Brendon e Jaime Simões; Brendon; Jean, Adriano, Mica e Bonani; Daffé.

Onze do Benfica: Zlobin; Tomás Tavares. Rúben Dias, Jardel e Nuno Tavares; Gedson, Florentino, Samaris e Zivkovic; Raul de Tomas e Jota.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados