Do pequeno-almoço picante às viagens de mota por Banguecoque

Com mais de 40 anos de carreira no futebol, Rui Nascimento treina o Army United na Tailândia.

Tudo começou em Saint-Dié-des-Vosges, há mais de 40 anos. "Eu sempre fui emigrante, saí de Portugal muito cedo, aos seis, sete anos. Fui para França e foi aí que comecei a dar os primeiros passos como jogador", explica Rui Nascimento à TSF.

O treinador nasceu em Leiria há 58 anos e como jogador, além do modesto Sporting Réunis Saint-Dié, do norte de França, representou em Portugal a União de Leiria, o Vitória de Setúbal e o Vitória de Guimarães, antes de ser campeão pelo FC Porto em 1989/1990.

Depois dessa época, jogou ainda um ano no Tirsense e acabou a carreira no Amora em 1993.

É logo nesse ano que começa a carreira como treinador. Em 1994, chega ao União de Leiria para integrar a equipa comandada por Manuel Cajuda.

Até 2013, trabalhou como adjunto e passou pela China e Emirados Árabes Unidos com Cajuda.

Depois de regressar a Leiria, voltou à China e agora está na Tailândia.

"Estou numa cultura diferente mas estou a gostar muito, vou continuar por cá", conta Rui Nascimento que representa o Army United, uma equipa formada por militares.

"Durante os jogos costumo ter mais de 500 militares nas bancadas. (...) Treinamos num complexo militar e quando vou para os treinos, além de me identificar, tenho de passar pelas barreiras", partilha o treinador de 58 anos.

Sobre o modo de vida, Rui Nascimento admite que a barreira da língua "é um problema", uma vez que "ninguém fala em inglês".

Na sua equipa técnica conta com quatro tailandeses, mas "felizmente tem um tradutor".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados