"É uma grande honra." Marcelo saúda Pichardo por "excecionalíssima prova"

Em entrevista à TSF, o Presidente da República considera que Pichardo honra o país em duplo sentido: pelo "campeoníssimo que é e por este triunfo ser do que há de melhor em Portugal há séculos".

O Presidente da República não podia estar mais feliz com a medalha de ouro no triplo salto conquistada por Pedro Pichardo, nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020. Em declarações, esta manhã, na TSF, Marcelo Rebelo de Sousa admitiu que se sente honrado duplamente.

"É um momento muito feliz para todos os portugueses esta medalha de ouro e é uma grande honra ouvir o hino nacional", admite, saudando Pedro Pichardo "pela sua excecionalíssima prova e que muito nos honrou".

"Honrou-nos a dois títulos: honrou-nos por ser o campeão que é, o campeoníssimo, e honrou-nos porque isto é um triunfo do que há de melhor em Portugal há séculos", afirma Marcelo Rebelo de Sousa.

O Presidente da República não esquece também Nelson Évora, "esse outro campeoníssimo". "São dois campeoníssimos que sucedem no tempo e que são a riqueza de Portugal. Um porque representa o nosso cruzamento com outros povos além Europa, e o outro que nos chega de fora da Europa e se afirma com o nome e com as cores de Portugal", refere.

Apesar da pandemia e de todas as limitações, o chefe de Estado considera que a delegação portuguesa está a fazer um excelente trabalho, ao mostrar que Portugal consegue "realmente ter uma presença forte em circunstâncias difíceis". Marcelo Rebelo de Sousa recorda também "a alegria que nos deram" Patrícia Mamona, que conquistou a medalha de prata no triplo salto feminino, Jorge Fonseca, que conseguiu o bronze no judo, Fernando Pimenta, que foi bronze na canoagem, "e muitos outros que foram a finais improváveis no hipismo".

"Eu temia que a delegação sofresse deste ano de adiamento e quando houve perturbações em todas as delegações e é com alegria que vemos este culminar, até agora, na medalha de ouro. É um grande momento para Portugal", diz.

Marcelo Rebelo de Sousa considera que ainda há muito para fazer, nomeadamente apostar no desporto escolar.

"Podemos e devemos fazer ainda melhor, mas o Comité Olímpico fez o que pôde e o que não pôde numas Olimpíadas muito difíceis. O que é preciso fazer é começar o desporto mais cedo na escola", admite, acrescentando que "a única maneira de ter mais atletas que cheguem mais alto é ter muitos mais jovens a praticar modalidades".

O Presidente da República lembra que António Costa tem também a ambição de valorizar e apostar mais no desporto dentro da escola.

"Este programa de preparação olímpica foi dos mais cuidadosos e cada [edição dos] Jogos Olímpicos é um desafio acrescido. Até o investimento no desporto escolar demora décadas a concretizar-se e nós temos, à partida, o problema da população pequena, de uma população envelhecida, portanto fez-se muito e temos de fazer ainda mais", remata.

Pedro Pablo Pichardo conquistou, esta quinta-feira, a medalha de ouro na prova do triplo salto dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, com novo recorde nacional, elevando para quatro o número de medalhas obtidas por atletas portugueses, o melhor resultado de sempre. Pichardo venceu o concurso com um salto de 17,98 metros.

MAIS SOBRE TÓQUIO 2020

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de